Fale Conosco

A Vigilância Epidemiológica da Secretaria municipal de Saúde de Macaé, no norte do estado do Rio de Janeiro, investiga o caso de um homem, de 43 anos, com suspeita de varíola dos macacos (monkeypox). Ele trabalha numa plataforma de petróleo na Bacia de Campos e retornou, na última quarta-feira (8), com sintomas da doença.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Macaé informa que “aguarda a emissão do laudo técnico dos exames realizados pelo laboratório molecular de virologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) nas amostras coletadas em paciente”.

O homem não é morador de Macaé, mas segue internado em hospital particular no município, após desembarcar de plataforma de petróleo. “A previsão é que o diagnóstico seja liberado nesta segunda-feira (13). Amostras do paciente também estão sendo analisadas pelo Laboratório Central Noel Nutels (Lacen), da Secretaria Estadual de Saúde”.

A nota diz ainda que o estado de saúde do paciente é estável. “A internação segue como protocolo de isolamento até o fechamento do diagnóstico”. A Vigilância Epidemiológica de Macaé esclarece que não há outro caso suspeito em investigação na cidade.

A Secretaria de Estado de Saúde, por meio do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde, confirma essas informações. “Exames complementares, preconizados pelo Ministério da Saúde para fechar a avaliação do caso, estão em andamento”, destacou.

Até o momento, não há caso de monkeypox confirmado no Rio de Janeiro.

Em maio, o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde enviou comunicado de alerta às secretarias municipais de Saúde orientando quanto à detecção e ao monitoramento de possíveis casos da doença. A medida tem como objetivo garantir que as vigilâncias municipais e estadual sejam notificadas dos possíveis casos e possam fazer o acompanhamento da evolução da doença.

 

 

 

Redação com Agência Brasil.