Fale Conosco

O vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, nas Ilhas Canárias, entrou em uma nova fase eruptiva nas últimas horas e passou a expelir muita lava. De acordo com o mais recente balanço do Instituto Geográfico da Espanha, o vulcão em oito dias de erupção já lançou à superfície mais de 46 milhões de metros cúbicos de lava. A quantidade já ultrapassa em apenas uma semana o material que saiu da cratera da erupção do Teneguía, na mesma região, em 1971.

Além de mais lava, a terra tremeu na região do vulcão. Até o começo da tarde desta terça-feira foram sete terremotos, sendo o mais forte com magnitude de 3,3. Os abalos se situaram a dez quilômetros de profundidade. De acordo com o instituto, a sismicidade e deformação vulcânicas estão estáveis, mas houve aumento da atividade eruptiva. O órgão salientou ainda que a nuvem de cinzas se tornou mais alta e agora atinge mais de sete mil metros de altitude.

A lava continua descendo o Cumbre Vieja de forma incessante. Os rios de magma ainda não alcançaram o mar, um temor ante a liberação de gases tóxicos no contato do material vulcânico com a água. A lava situa-se a cerca de 1.200 metros do oceano, depois de passar pelos centros das localidades de El Paraíso e Todoque.

Os últimos dados do Sistema Copernicus, a partir de monitoramento por satélites, apontam para 686 edificações atingidas pela erupção do vulcão, 589 destruídas e 97 danificadas. São 22,2 quilômetros de estradas afetadas ou totalmente destruídas. Os fluxos de lava cobrem um total de 258 hectares, extensão comparável a 315 campos de futebol.

O porta-voz do Instituto Vulcanológico das Canárias (Involcan), David Calvo acredita que o vulcão de La Palma entrou numa fase efusiva. Isso significa que haverá menos explosões e o cone principal terá menos proeminência. Assim, a expulsão da lava, que agora está mais viscosa, concentra-se numa boca que fica fora do cone. A nova lava é do tipo havaiana, mais fluída e com maior capacidade de movimento, disse.

O novo rio de lava sai de uma pequena cratera que emite menos cinzas e menos piroclastos do que o centro emissor principal e embora seja difícil para ela formar seu próprio cone, ela emite um “impressionante” jato de lava, disse o Involcan. Nessa boca eruptiva sempre saiu mais lava fluida, entretanto desde o final da segunda-feira ela começou a vomitar lava sem parar. O fato de a lava ser mais fluida faz com que ela tenha mais capacidade de se mover e ocupar terrenos, e por ser menos densa e rápida facilitará a chegada ao mar.

A erupção é a primeira em La Palma desde outubro de 1971, quando o vulcão Teneguia expeliu lava durante três semanas. La Palma, com 85 mil habitantes, é uma das oito ilhas do Arquipélago das Canárias. No seu ponto mais próximo com a África, dista 100 quilômetros do Marrocos. As Canárias estão a 460 quilômetros da ilha da Madeira, em Portugal, e a 1.428 quilômetros da Ilha do Sal, em Cabo Verde.

A atividade vulcânica na parte Sul da ilha de La Palma já dura pelo menos 125.000 anos e formou o vulcão conhecido como Cumbre Vieja, ou também simplesmente como Dorsal Sur. Apesar de serem estruturas diferentes, o Cumbre Vieja pode fazer parte do vulcão Taburiente. O Cumbre Vieja entrou em erupção em 1971, 1949, 1712, 1677, 1646 e 1585.

É o vulcão mais ativo das Ilhas Canárias. As erupções ocorreram em intervalos de 20-60 anos. Exceção foi a notável dormência de 237 anos entre 1712 e 1949. Cientistas especulam que a enorme erupção de seis anos na vizinha Ilha de Lanzarote, em 1730, induziu a longa dormência em Cumbre Vieja de mais de dois séculos até 1949.

MetSul Meteorologia