Fale Conosco

O ex-juiz Sergio Moro criticou hoje o possível fim da Lava Jato horas depois de o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmar ter acabado com a Operação porque, segundo ele, “não existe mais corrupção” em seu governo. Nas redes sociais, Moro disse que as tentativas de acabar com a força-tarefa representam a volta da corrupção e um triunfo da velha política.

“As tentativas de acabar com a Lava Jato representam a volta da corrupção. É o triunfo da velha política e dos esquemas que destroem o Brasil e fragilizam a economia e a democracia. Esse filme é conhecido. Valerá a pena se transformar em uma criatura do pântano pelo poder?”, escreveu o ex-ministro da Justiça do governo Bolsonaro.

Apesar da fala de Bolsonaro, a prerrogativa de encerrar a Lava Jato não é do Poder Executivo, mas da PGR (Procuradoria-Geral da República (PGR). A possibilidade de encerramento da força-tarefa de Curitiba em janeiro de 2021, como previsto pela PGR, lança incertezas sobre o futuro de uma série de investigações ainda em andamento e tem mobilizado procuradores da equipe a agir pela continuidade da operação, como noticiou a Folha.

O procurador da Lava Jato Roberson Pozzobon disse, em entrevista à CNN Brasil em setembro, que “é impossível” encerrar até janeiro as mais de 400 investigações em curso na Operação.