Fale Conosco

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) divulgou uma manifestação contra a decisão do presidente Jair Bolsonaro, que vetou a distribuição de absorventes à mulheres em situação de vulnerabilidade. Segundo a parlamentar, falta empatia no chefe da Nação, que desconhece a realidade feminina no Brasil.

Simone Tebet classificou como cruel a rejeição de Bolsonaro à iniciativa de saúde menstrual, que beneficiaria mulheres moradoras de rua, encarceradas e estudantes de baixa renda de escolas públicas. Além disso, ela afirmou que o presidente sinalizou mais uma vez que menospreza à vida humana.

“Desconexão com a realidade, falta de empatia e desconhecimento da condição feminina, em pleno mês de valorização da saúde da mulher: o Outubro Rosa. Chega a ser cruel o veto à distribuição gratuita de absorventes a moradoras de rua, encarceradas e estudantes de baixa renda de escolas públicas”, declarou.

Como justificativa para o veto, Bolsonaro alegou que no projeto de Lei não havia previsão orçamentária, o que a senadora taxou como irreal. “Os recursos viriam do SUS e do Fundo Penitenciário. Também não se pode falar em falta de interesse público, em um País onde 52% da população são mulheres”, argumentou.

Leia a manifestação completa:

Manifestação

*Saúde menstrual* veto Executivo

“Desconexão com a realidade, falta de empatia e desconhecimento da condição feminina, em pleno mês de valorização da saúde da mulher: o Outubro Rosa. Chega a ser cruel o veto à distribuição gratuita de absorventes a moradoras de rua, encarceradas e estudantes de baixa renda de escolas públicas. Uma em cada quatro jovens já faltou a escola por falta do produto. O argumento de que não há previsão orçamentária é irreal. Os Recursos viriam do SUS e do Fundo Penitenciário. Também não se pode falar em falta de interesse público, em um País onde 52% da população são mulheres. Veto do presidente é mais um sinal do menosprezo dele à condição humana.”

Senadora Simone Tebet (MDB-MS)