Fale Conosco

A pesquisa Datafolha revelada nesta sexta-feira (17) revelou que a maioria dos brasileiros não acreditam no que é dito pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. São 57% dos entrevistados que afirmam desconfiar da sua palavra.

A minoria, 15%, disseram que sempre confiam no que é dito pelo chefe da Nação. Outros 28% responderam que às vezes acreditam em suas declarações.

Para a realização da pesquisa Datafolha, foram consultadas 3.667 pessoas em todo o Brasil entre os dias 13 e 15 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

O índice de desconfiança em relação às palavras de Bolsonaro é o maior registrado no levantamento Datafolha. No mês passado, a taxa estava em 55%. No mês de maio foi a primeira vez que o percentual ultrapassou a barreira dos 50%. A alta vem sendo constatada desde dezembro de 2020, quando a resposta “às vezes” superou negativamente o índice negativo —39% a 37% naquela ocasião.

Mais mulheres desconfiam das declarações do presidente, com índice de 61% contra 52% dos homens. Na região Nordeste, o índice dos que não acreditam no mandatário é maior, com 66%.

A taxa negativa para Bolsonaro cai entre os entrevistados com renda mais alta. Entre os que têm renda familiar de cinco a dez salários mínimos, o indíce desce para 48%. Os entrevistados com renda familiar superior a dez salários mínimos que sempre confiam nas declarações somam 26%.

No recorte que computa apenas os eleitores que afirmam que vão votar pela reeleição dele em 2022, a taxa de confiança atinge 50% ou mais, dependendo do cenário eleitoral pesquisado.

Um dos segmentos que mais rejeitam a veracidade das declarações de Bolsonaro é o que vê “muita chance” de um golpe de Estado no país. Nesse recorte, a desconfiança no que é dito pelo presidente chega a 85%.

Folha de S. Paulo