Fale Conosco

O ‘Tá na Mesa’, programa idealizado pelo Governo do Estado, executado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh), já chegou a 54 dos 83 municípios que não possuem Restaurantes Populares e que serão contemplados, com o objetivo de fornecer refeições diárias, ao preço de R$ 1,00, para pessoas em situação de vulnerabilidade social.

A diretora de Segurança Alimentar e Nutricional da Sedh, Luciana Leal, lembra que programa está sendo implantado em cidades nas quais os restaurantes vencedores do processo licitatório estão tendo os contratos assinados e publicados. “Esta semana o programa iniciou nas cidades de Solânea, na Região do Brejo; e em São José de Piranhas e Conceição, no Sertão do Estado, numa demonstração da abrangência do Tá na Mesa”, observou.

O secretário de Desenvolvimento Humano, Tibério Limeira, comentou que o Tá na Mesa é o maior programa emergencial de segurança alimentar do Estado. “O Governo está investindo R$ 4,4 milhões, levando o programa para 83 cidades. Nas cidades com mais de 20 mil habitantes serão fornecidas 400 refeições diárias; em cidades com população entre 10 e 20 mil habitantes, serão 250 refeições. No total são 25.100 refeições diariamente, totalizando mais de R$ 552 mil em recursos circulando mensalmente pelos próximos três meses nestes municípios. Um programa para fazer com que a comida chegue na mesa de quem mais precisa”, declarou.

O secretário acrescenta que o programa Tá na Mesa está firmando um marco na Paraíba. “Com o avanço da pandemia, ocorre também o avanço da fome, e muitas famílias passaram a situação de pobreza e extrema pobreza, e ações como essa vem amenizar a dor e o sofrimento do nosso povo. E por isso o governador João Azevêdo tem trabalhado pensando em como enfrentar a doença na área da saúde, e também na área social.  E o Tá na Mesa é uma dessas ações, além de outras que estão em curso pela Sedh”, finalizou.

A iniciativa do Governo do Estado tem o objetivo de promover assistência alimentar aos segmentos mais vulneráveis da população e de fomentar as economias locais, com a contratação de restaurantes dos municípios contemplados para o fornecimento das marmitas.