Fale Conosco

Com o objetivo de conscientizar os condutores de veículos e pedestres sobre a segurança no trânsito, a Prefeitura de João Pessoa promove ações de conscientização ao longo de todo o ano, por meio de campanhas contínuas. Dentre elas, existem os projetos Semob nas Ruas, Amando o próximo no trânsito, Agentes Mirins, Compartilhando Espaços e Vagas Especiais, além das campanhas nacionais, como Maio Amarelo e Semana Nacional de Segurança no Trânsito.

Essa conscientização é mais que necessária, já que, segundo dados da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob), de janeiro a agosto de 2021, foram autuados 6.085 infratores por avanço do sinal vermelho, além de 7.472 vítimas feridas e 76 mortes em acidentes de trânsito. Em 2020, foram 1.278 acidentes em cruzamentos, por motivos variados. Com relação ao número de vítimas, foram 10.830 pessoas foram feridas e 49 chegaram à óbito.

Os cruzamentos que concentram o maior número de acidentes são os da Avenida Epitácio Pessoa com o da Avenida Senador Ruy Carneiro, no bairro Tambauzinho; Rua Diógenes Chianca com a Rua Cel Augusto Fernandes Maia, em Água Fria; além da Rua Eutiquiano Barreto com a Avenida Sapé, em Manaíra.

O superintendente de Mobilidade Urbana de João Pessoa, George Morais, destaca o empenho nas campanhas e nas ações, tanto individuais, quanto conjuntas, no sentido da redução da violência no trânsito. “A segurança no trânsito é uma das prioridades da Semob-JP. Investimos na ampliação do monitoramento. No início da gestão, eram 70 câmeras de monitoramento, hoje são 85. Investimos mais de 600 mil reais, tanto na sinalização horizontal, a exemplo de faixas de pedestres, alertas, eixos, como na vertical, com a colocação de placas de sinalização. Além do investimento nas campanhas, como a campanha do Maio Amarelo, no sentido de promover a segurança viária”, explicou George Morais.

De acordo com Gilmara Branquinho, chefe da Divisão de Educação para o Trânsito (Died), as ações educativas são realizadas em locais diversos, sendo mais comuns nos corredores principais e avenidas com maior fluxo de tráfego dos bairros.  Nestas atividades, os motoristas e pedestres são abordados pelos educadores e recebem orientações de segurança no trânsito e material educativo.

Campanhas contínuas:

– O projeto Semob nas Ruas leva dicas de educação e segurança no trânsito para todos os bairros de João Pessoa. As localidades são visitadas pela equipe de Educação para o Trânsito, com atividades que focam os principais problemas de circulação nas vias, como a travessia fora da faixa de pedestre, o uso do celular ao volante e velocidade compatível com as vias.

– Amando o próximo no trânsito é uma campanha que tem como objetivo reduzir os problemas encontrados em ruas onde estão localizadas instituições religiosas, principalmente os estacionamentos irregulares nos horários de celebrações. As equipes, em parceria com as instituições religiosas, abordam os fiéis para evitar os erros cometidos no contexto de cada templo, além de abordar as principais infrações em situações normais de trânsito.

– O projeto Agentes Mirins envolve crianças da Rede Municipal de Ensino na luta por um trânsito melhor. A ideia é internalizar nas crianças o cuidado com uma mobilidade urbana mais segura. As crianças passam a ser multiplicadoras de bons exemplos, tanto na família quanto na sociedade em geral.

– Compartilhando Espaços é uma campanha educativa em pontos de grande movimentação turística e traz um alerta à população na intenção de evitar acidentes e garantir um verão de tranquilidade e segurança para todos. Os pedestres e ciclistas precisam estar atentos aos seus espaços e respeitar as regras de circulação. Quem anda a pé deve estar sempre na calçada. Para atravessar uma via destinada a veículos motorizados, todo mundo já sabe: o caminho é pela faixa de pedestres. Nas ciclovias, a regra também é o cruzamento seguro, não utilizando como via de passeio a pé.

– Vagas Especiais é uma campanha pelo respeito às vagas especiais de estacionamento. Estes espaços são destinados a pessoas de 60 anos ou mais e pessoas com deficiência que dificultem sua locomoção. Este direito, no entanto, nem sempre é respeitado.

 

 

PMJP.