Fale Conosco

O Ministério Público da Paraíba expediu recomendação para que o Município de João Pessoa adote medidas necessárias para assegurar a observância do intervalo de 12 semanas entre a primeira e segunda doses das vacinas Pfizer/Wyeth e Astrazeneca/Fiocruz. A recomendação foi expedida pela 48ª promotora de Justiça da Capital, Maria das Graças Azevedo, que atua na defesa da saúde.

De acordo com a promotora de Justiça, a Nota Técnica nº 836/2021, do Ministério da Saúde, publicada no último dia 29 de junho, adotou o esquema de duas doses da vacina com intervalo de 12 semanas com base em dados apresentados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em junho.

Ainda segundo a promotora Maria das Graças, esse intervalo de 12 semanas (84 dias) não está sendo rigorosamente observado em algumas localidades, nas quais tem sido verificada a adoção do intervalo de três meses ou de 90 dias entre a primeira e segunda doses dos imunizantes.

Além disso, o Ministério da Saúde, por meio do 29º Informe Técnico, publicado na última terça-feira (20/07), alerta para a importância de ser mantido o intervalo de 12 semanas entre as doses dessas duas vacinas, mesmo com a circulação da variante Delta no país.

A promotora recomendou ainda que o município adote medidas necessárias para garantir a adequada orientação aos cidadãos e a correta anotação no cartão de vacinas e nos sistemas de controle do Ministério da Saúde quanto ao intervalo acima referido.