Fale Conosco

Todo mundo se preocupa com o sal, mas o açúcar em excesso também pode causar pressão alta. “Embora o sódio (sal) seja conhecido por causar pressão alta ou hipertensão, o açúcar também pode ter um papel importante”, afirma o cardiologista Valério Vasconcelos. O excesso de açúcar aumenta os riscos de problemas de saúde, como obesidade, resistência à insulina, diabetes, aterosclerose (placas de gordura nas artérias), colesterol alto, níveis elevados de triglicerídeos, pressão alta, arritmias, infarto e derrame cerebral.

Médico, pesquisador e escritor (autor do livro “O coração gosta de coisas boas”, dentre outros), Valério Vasconcelos diz que comer muito açúcar pode inibir a produção de óxido nítrico (NO) nos vasos sanguíneos. Essa substância, produzida de forma natural no corpo humano, normalmente ajuda na vasodilatação (expansão dos vasos sanguíneos).

Mas sem óxido nítrico no organismo, pode ocorrer a vasoconstrição, que é o estreitamento dos vasos sanguíneos, ocasionando a hipertensão. “Normalmente, as pessoas pensam que o sal é prejudicial à pressão arterial. No entanto, o açúcar também é responsável pela hipertensão e é uma das principais causas dela”, declara o especialista.

O cardiologista explica que a frutose, um tipo de açúcar simples, aumenta os níveis de ácido úrico no sangue. Por sua vez, o ácido úrico inibe a produção de óxido nítrico. “O óxido nítrico é o que ajuda os vasos sanguíneos a manter a flexibilidade. Então, quando os níveis dessa substância são reduzidos, você pode sentir um aumento na pressão arterial”. Além disso, conforme o especialista, o aumento do consumo de açúcar pode levar ao ganho de peso. “A obesidade também contribui para a elevação da pressão arterial”, alerta.

QUAL O CONSUMO IDEAL DE AÇÚCAR?
Se o açúcar em excesso faz mal à saúde, será que existe uma quantidade adequada para o consumo do produto? Sim. De acordo com o cardiologista Valério Vasconcelos, da mesma forma que os especialistas indicam nunca ultrapassar 2 gramas de sódio por dia (ou 5 gramas de sal), há uma orientação para não exagerar no açúcar.

“A Organização Mundial da Saúde, por meio de suas novas diretrizes, recomenda que apenas 5% do total de calorias ingeridas ao dia venham do açúcar, o que daria em média 25g (gramas) ao dia, ou seis colheres (chá) dos cristalizados comestíveis”, aconselha. Para quem tem diabetes, porém, Valério Vasconcelos dá outra orientação. “Quanto aos diabéticos – grupo de doenças que resultam em muito açúcar no sangue, alto nível de glicose – a recomendação é que retirem o açúcar e usem o adoçante, ou reeduquem o paladar”.

DICAS QUE FAZEM BEM AO CORAÇÃO
• Ao começar o dia, saboreie frutas frescas e faça ingestão adequada de água. Isso ajuda a controlar o desejo por doce e pode impedir o consumo de açúcar processado;
• Escolha uma dieta rica em frutas, legumes, grãos inteiros, produtos lácteos com baixo teor de gordura, aves e peixes sem pele, nozes e leguminosas;
• Certifique-se de limitar a ingestão de gorduras saturadas e trans, sódio, carne vermelha (escolha os cortes mais magros disponíveis se estiver comendo carne vermelha) bem como doces e bebidas adoçadas com açúcar.