Fale Conosco

Um decreto editado pelo presidente Jair Bolsonaro autoriza ministros e servidores em cargos ou funções de confiança a viajarem de classe executiva em voos internacionais de sete horas de duração ou mais. A permissão tem validade para viagens a serviços da União e foi publicada esta quarta-feira (12) no Diário Oficial da União.

No governo de Michel Temer, em 2018, foi decretado que as passagens aéreas para tais viagens deveriam ser “sempre na classe econômica”. Caso o ministro ou servidor optassem por outra categoria, a diferença seria paga por ele e não pela União.

A nova medida também vale para servidores públicos que substituam ministros ou tais servidores. Ela não revoga a exigência da emissão da passagem aérea em classe econômica, mas permite que, nos casos citados, os bilhetes na tarifa executiva sejam bancados com dinheiro público.

CNN Brasil