Fale Conosco

Parece que a CPI da “Última Bala” do prefeito de Campina Grande saiu pela culatra.

Embora tenha afirmado em diversas ocasiões que não pretende disputar a Prefeitura de Campina Grande em 2016, o deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB), deixou transparecer que pode refazer o caminho de volta ao Palácio do Bispo. Ao conceder entrevista no Jornal de Verdade/Rádio Cidade Esperança, Veneziano fez um desafio aos seus adversários que, segundo ele insistem em desestabilizá-lo politicamente.

Enfático, ele e fez um desafio aos seus adversários políticos para um enfrentamento nas urnas.

“Que se juntem todos, que se juntem todos, pois certamente vão me enfrentar nas urnas”.

Ainda chateado com as declarações do ex tesoureiro, Veneziano disse que cada dia mais se sente estimulado para os embates políticos. Ele não tem dúvida de que todas as denúncias formuladas por Renan Trajano na Folha de São Paulo e que motivaram a instalação de uma CPI na Câmara de Vereadores, foram orquestradas por seus adversários que o temem nas urnas.

“A cada dia me sinto mais estimulado para enfrentar meus adversários nas urnas”.

Veneziano deixou transparecer que não teme a Comissão Parlamentar de Inquérito instalada na Câmara Municipal de Campina Grande “Eu sei quanto me esforcei no meu mandado como vereador. Essa oposição a mim é folclórica. De uma aberração humana”, lamentou.

O deputado questionou o motivo pelo qual CPI não investiga também os vereadores que supostamente receberiam na administração dele uma espécie de “mensalinho”.

Segundo Veneziano, a exclusão mostra a “parcialidade” da CPI e demonstra, também, que ela foi instalada “com um objetivo claramente político”. Segundo ele, com essa decisão de direcionar a investigação apenas para a sua gestão e excluir a denúncia de que vereadores teriam recebido dinheiro, a CPI mostra que já nasce totalmente desacreditada.

Veneziano lembrou que, desde o primeiro momento, se mostrou favorável à CPI, posição que foi externada nas diversas entrevistas que concedeu. Porém, desde que a Comissão fosse “um instrumento imparcial, que pudesse mostrar a verdade das denúncias infundadas de um cidadão totalmente desacreditado, que apenas fala, mas não apresenta provas de nada do que diz”.

Para o peemedebista, a decisão de direcionar a investigação e excluir a denúncia relacionada aos próprios vereadores “mostra a parcialidade, o descrédito e o caráter político” da CPI.

“É visível a descrença dessa CPI”, pontuou Veneziano.

O ex-prefeito aproveitou para alfinetar a atual gestão tucana dizendo que “eles têm medo, receio, temor, de fazer uma comparação da administração peemedebista com essa administração tucana que ele chamou de “falida, opaca e caquética”.

Ele também deixou claro que vai reagir a todo tipo de agressão.

“O Veneziano calado acabou. – Todos enxergam o propósito dessa comissão, que é o de tentar atingir a minha imagem e desfocar a atenção do povo sobre a péssima e inexistente administração atual” afirmou.