Fale Conosco

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu manter a bandeira vermelha, patamar 2, e com isso, as contas de energia vão continuar mais caras em agosto. O valor cobrado a cada 100 kilowatt-hora (kWh) consumido continua sendo de R$9,492.

Segundo a agência, não houve mudança nos cenários hidrológicos do país. Os reservatórios das usinas hidrelétricas ainda sofrem com o período de seca, forçando o uso de fontes de energia mais cara.

“Agosto inicia-se com igual perspectiva hidrológica, com os principais reservatórios do SIN [Sistema Interligado Nacional] em níveis consideravelmente baixos para essa época do ano. Essa conjuntura sinaliza horizonte com reduzida capacidade de produção hidrelétrica e necessidade de acionamento máximo dos recursos termelétricos”, ressaltou a Aneel.

Em períodos de seca e consequente baixa nos níveis dos reservatórios, capta-se energia de outros tipos de usina, como as termelétricas. Esse tipo de usina gera energia a partir de combustíveis fósseis, como diesel e gás. Além de ser mais poluente, é mais cara. Por isso, quando as termelétricas são acionadas, o custo da geração de energia aumenta e a bandeira tarifária sofre mudanças.