Fale Conosco

Um vulcão entrou em erupção nas ilhas Canárias espanholas de La Palma neste domingo (19), lançando fontes de lava e uma nuvem de fumaça e cinzas no parque nacional Cumbre Vieja, no sul da ilha.

As autoridades já haviam começado a evacuar dezenas de moradores doentes e animais de fazendas das aldeias vizinhas antes da erupção, que ocorreu em uma encosta na área de Cabeza de Vaca.

Antes da erupção, os cientistas registraram uma série de terremotos de magnitude 3,8 no parque nacional, de acordo com o Instituto Geográfico Nacional Espanhol (ING).

Logo após a erupção, o governo local pediu aos moradores que “tenham extrema cautela” e fiquem longe da área e das estradas.

A população das aldeias vizinhas foi instruída a ir a um dos cinco abrigos e soldados foram enviados para ajudar na remoção dos moradores. Espera-se que mais residentes sejam evacuados das cidades vizinhas.

A televisão espanhola mostrou fontes de lava sendo lançadas, e nuvens de fumaça podiam ser vistas do outro lado da ilha.

Foram registrados mais de 22 mil tremores na semana passada na área de Cumbre Vieja, uma cadeia de vulcões que teve uma grande erupção em 1971 e é uma das regiões vulcânicas mais ativas das Canárias.

A primeira erupção vulcânica registrada nas Ilhas Canárias de La Palma ocorreu em 1430, de acordo com o Instituto Geográfico Nacional Espanhol (ING).

Em 1971, um homem foi morto enquanto tirava fotos perto dos fluxos de lava, mas nenhuma propriedade foi danificada.

Acompanhem atualizações direto da ilha, AO VIVO:

Por volta das 19h (horário local / 15h – horário de Brasília) o vulcão passou a expelir mais lavas, deixando a ilha ainda mais coberta por cinzas e fumaça. Autoridades estão acompanhando a evolução do vulcão e monitorando regiões circunvizinhas.

Ligação com o Brasil

O vulcão da região ganhou destaque no Brasil, uma vez que seria o único que, em caso de erupção explosiva — nível mais alto de atividade vulcânica —, poderia ser capaz de gerar deslizamentos e provocar um tsunami, com força suficiente para chegar à costa brasileira. O risco desse cenário acontecer é baixo.

* Matéria em atualização.

Redação com G1.