Fale Conosco

O senador Major Olimpio (PSL), de 58 anos, teve morte cerebral confirmada pelos médicos nesta quinta-feira (18). Ele estava internado em São Paulo desde o dia 2 de março para tratamento da Covid-19. Em 5 de março, ele foi transferido para uma unidade de tratamento intensivo (UTI). A informação foi divulgada pela família nas redes sociais do parlamentar.

Major Olimpio é o terceiro senador vítima da Covid-19. Antes, morreram Arolde de Oliveira (PSD-RJ), aos 83 anos, em outubro do ano passado; e José Maranhão (MDB-PB), aos 87 anos, em 8 de fevereiro.

Natural de Presidente Venceslau, no interior de São Paulo, Olimpio completaria 59 anos neste sábado (20). Foi deputado federal por um mandato e deputado estadual em São Paulo por dois mandatos. Antes de se dedicar à carreira política, serviu como policial militar no estado de São Paulo por 29 anos.

Além de bacharel em ciências jurídicas e sociais, titulação obtida ao concluir da Academia do Barro Branco da Polícia Militar, exerceu as profissões de jornalista, professor de educação física e de técnica em defesa pessoal. Também foi instrutor de tiro.

Antes de ingressar no PSL, em março de 2018, o senador já havia passado por Partido Verde, PDT e Solidariedade.

O senador deixa esposa e dois filhos.

Há uma semana, a família publicou nas redes sociais de Olímpio que o quadro dele “era estável e inspirava cuidados” e pedia orações e respeito para que ele continuasse o tratamento. A piora no quadro de Olimpio provocado pela Covid-19 foi rápida. No dia 4 de março, quando internado, o senador usou as redes sociais para dizer que estava “evoluindo satisfatoriamente” e que “apesar da gravidade e tenho fé que em breve estou de volta ao combate!”.

Apesar da internação, Major Olimpio chegou a participar, em 3 de março de uma sessão de trabalhos do Senado, por meio de videoconferência direto do hospital.

Cerca de duas semanas antes de ser internado com Covid-19, o senador participou de um ato contra o fechamento do comércio em Bauru, no interior de São Paulo. A manifestação, que teve aglomeração de pessoas, foi liderada pelo empresário Luciano Hang e a prefeita da cidade, Suéllen Rosin (Patriota).

G1