Fale Conosco

O deputado estadual Cabo Gilberto (PSL), que ainda não tomou sequer uma dose da vacina contra a Covid-19, criticou o projeto aprovado pela Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) que irá limitar o acesso de servidores na Casa, permitindo apenas a entrada daqueles já imunizados. O parlamentar apontou que a medida só afeta os funcionários do lugar e não os deputados.

Além de estarem proibidos de entrarem na ALPB, os trabalhadores não vacinados contra o coronavírus ainda podem ser penalizados com corte de salário e com a proibição da solicitação de empréstimos. Cabo Gilberto classifica o projeto como inconstitucional.

“É um projeto totalmente inconstitucional, mas não aprovaram nada com relação aos parlamentares. Aprovaram com relação aos servidores da Casa. Eu estou momentaneamente representando o povo paraibano, eleito democraticamente”, declarou.

O deputado estadual defende a ideia de que a aplicação da vacina não deve ser imposta aos cidadãos. Mesmo sem definir a data que receberá o imunizante, ele garante que será vacinado contra a Covid-19. “Eu vou tomar a vacina. Defendo a vacina e iremos observar o que vai acontecer”, diz o político, que acrescenta: “Eu acho isso muito pequeno a Casa estar discutindo isso aí, mas é uma tática que eu sei onde eles querem chegar, porque não querem voltar a reabrir os trabalhos da Casa da Assembleia Legislativa e ficam botando dificuldade porque foi o parlamento que ficou fechado o mais tempo de todos. Eu não estou preocupado com isso”, alfineta.

Cabo Gilberto direciona suas críticas a base governista como também ao governador João Azevêdo, dizendo estar preocupado, realmente, com a retomada da economia e a diminuição do ICMS. “Eu estou preocupado com os problemas da Paraíba que é a retomada da economia, o fecha tudo do governador, estou preocupado com o preço do combustível que o governador não abaixa o ICMS, com o problema da falta d’água que o governador não teve gestão por isso não querem o debate na casa do povo”, ponderou.

Perguntado sobre quando tomaria sua vacina contra o coronavírus, o deputado foi irônico. “Mais na frente eu vou tomar a vacina. Onde fica aquela frase que todos falam: meu corpo, minhas regras. Não serve para mim?”, respondeu.