Fale Conosco

Fábio Rocha, secretário de Saúde do município de João Pessoa, declarou em recente entrevista não concordar com a aquisição de vacinas contra a Covid-19 por empresas privadas.

“Acho que as vacinas devem ser distribuídas pelo SUS, os governos podem se colaborar, entrando em consórcios. As empresas poderiam fazer doação de medicamentos. Acho que em relação a vacina não devemos especular o valor de vacina. O cara (sic) vende de acordo com a demanda”, ponderou o secretário, em declaração dada ao Hora H, da Rede Mais Rádio.

Quem também se manifestou contrário ao projeto aprovado pela Câmara Federal, que autoriza a compra de imunizantes pelo setor privado, foi o governador da Paraíba, João Azevêdo. Para o gestor, a iniciativa trata-se de “um equívoco grande”, destacando que a autorização só deveria ser concedida após a vacinação dos 77 milhões de brasileiros que compõe o grupo de risco.

“Vamos criar grupos com privilégios, ou seja, quem tem dinheiro poderá ser vacinado, mesmo em uma faixa etária mais baixa, do que o cidadão que não tem condições e terá que esperar pelo SUS. Além disso o projeto permite a importação de vacinas sem licença da Anvisa, ora o privado vai poder e os estados não? Um equívoco gigantesco”, justificou João Azevêdo.