Fale Conosco

A Prefeitura de João Pessoa atingiu a marca de 18.193 doses de vacina aplicadas contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos, desde quando a Campanha de Vacinação foi ampliada, pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), para atender esse grupo no dia 16 de janeiro até esta segunda-feira (7).

O processo de vacinação tem avançado em ritmo importante para atingir o público-alvo com eficiência. A consolidação dos dados e sua divulgação nas plataformas digitais, no entanto, está levando em torno de 72 horas após as informações cadastradas de forma manual serem inseridas no sistema.

De acordo com Fernando Virgolino, chefe da Seção de Imunização da SMS, a demora dos dados serem consolidados no Portal da Transparência da Prefeitura de João Pessoa e no SI-PNI (Sistema de Informação do Programa Nacional de Vacinação), que é acessado através do ConecteSus, é devido a todo processo de vacinação das crianças ser manual, diferente da vacinação dos outros grupos, que no ato do agendamento, o usuário já preenche os dados utilizados e eles são exportados para a base do Ministério da Saúde.

“Para vacinação dos adultos e adolescentes, todo processo foi informatizado, pelo site e aplicativo ‘Vacina JP’, o que otimiza e da celeridade na consolidação dos números e transferência de informação para plataforma utilizada pelo Ministério da Saúde. No caso das crianças, além de muitas não possuírem o documento de CPF, para garantir a assistência decidimos fazer pelo Cartão SUS e de forma manual, basta procurar um posto de vacina sem agendamentos. Desta forma também requer mais tempo para inserir no sistema”, explicou o coordenador da vacinação.

Vacinação – Para as crianças tomarem a vacina não é necessário agendamento, basta apresentar documento oficial com foto, Cartão SUS ou CPF, e comprovante de residência na Capital.

Transferência de dados – O site e o aplicativo ‘Vacina JP’ foi programado para que toda informação cadastrada ou inserida na plataforma, tanto pelos usuários que buscam a vacinação quanto pelos profissionais de saúde, sejam transferidas para Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS), que se comunica com as plataformas do Ministério da Saúde (MS), consolidando o banco de dados e gerando, quando preciso, os documentos necessários à população.

“Em dezembro, o site do Ministério da Saúde e o aplicativo ConecteSUS, que fornece o Certificado Nacional de Vacinação Covid-19, foram invadidos por hackers e alguns dados foram impossibilitados de serem acessados, mas aos poucos vem sendo normalizado. Houve prejuízos também ao e-SUS Notifica, que recebe notificações dos estados e municípios sobre a síndrome gripal suspeita e confirmada de Covid-19”, concluiu Fernando Virgulino.

Sem riscos – A médica infectologista Marcela Santos, que trabalha na Rede Municipal de Saúde de João Pessoa, destacou a importância da vacinação para as crianças. Segundo ela, os testes comprovam que a imunização não gera riscos para a saúde dos pequenos.

“Não há nenhuma contraindicação para a vacinação de crianças. Todos os testes que foram realizados comprovam que a imunização deste público é segura. Mesmo que os números mostrem que as crianças não adoeçam tanto, é de suma importância que elas também completem o ciclo vacinal”, explicou a médica.

Balanço – Para o público infantil, a vacinação teve início no dia 16 de janeiro e cerca de 80 mil crianças deverão ser imunizadas na Capital, com a ampliação da faixa etária de 5 a 11 anos. Neste grupo, estão sendo administrados o imunizante da Pfizer, com dose reduzida, que equivale a 1/3 da dose normal, e da Coronavac.