Fale Conosco

Nesta sexta-feira (1º), o programa 360 graus recebeu Pedro Matias, presidente da juventude do PT da Paraíba. Na conversa com os jornalistas da bancada, o militante reconheceu que o partido, assim como outros do segmento progressista e de esquerda, perdeu força no cenário político, contudo, diante da atual crise política vista no Brasil encabeçada pela extrema-direita e pelo presidente Jair Bolsonaro, o espaço começou a ser reconquistado, principalmente, pela juventude .

“Acredito que uma série de mudanças conjunturais fizeram com que o PT, mas não só o PT como todo o campo progressista, campo popular, as esquerdas, perdessem uma certa força em segmentos da sociedade. Entretanto, com o agravamento da crise política, com a descrença que está posta na juventude, dessa forma de fazer política de extrema-direita, que a direita prega e o próprio Bolsonaro prega, nós temos recuperado um terreno importante na juventude brasileira, principalmente na juventude universitária, que é a defesa da democracia, a defesa de uma educação pública gratuita e de qualidade, uma defesa da garantia de direitos sociais, direitos culturais, direitos econômicos e que fazem um contraponto a essa forma de enfrentar a política, essa forma de fazer política que o governo Bolsonaro e sua trupe entendem”, argumentou.

E sobre o cenário político nacional para 2022, o petista disse que o processo eleitoral não será fácil e o objetivo da legenda na Paraíba é ampliar, ao máximo, o arco de alianças do ex-presidente Lula no Estado. Nesse sentido, o apoio do governador João Azevêdo, que tem a terceira gestão mais bem avaliada do país, seria essencial para a construção de uma candidatura diversificada e que atinja outra parcela da sociedade paraibana que não são favoráveis a reeleição do atual presidente.

“O processo eleitoral tem suas nuances, tem suas dinâmicas internas. Numa facada Bolsonaro se elegeu presidente da República. Então, fortalecer o palanque do presidente Lula, fortalecer essa ideia de reconstrução nacional é muito importante e o apoio do governador João Azevêdo é fundamental aqui no Estado para a gente avançar na diversificação das forças que apoiam nossa candidatura, para avançarmos na construção de um programa amplo, de um programa que represente diversos setores da sociedade”, ponderou Pedro.

Sua opinião sobre a atual gestão federal é irrefutável, afirmando que é um desastre em todas as áreas e ataca diretamente a juventude brasileira, deixando esse público marginalizado e sem perspectiva de futuro. O militante lembra que, durante o governo do PT, políticas públicas com o propósito de inserir os jovens, principalmente de baixa renda, nas universidades e qualificá-los para o mercado de trabalho foram criadas, ao contrário do que é visto no país atualmente.

“O que é que tem hoje? Não tem. É o sucateamento das universidades, é a falta de perspectiva de uma política pública clara que insira a juventude no mercado de trabalho, é um desastre”, disse Pedro Matias, que acrescentou: “A gente retrocedeu. A juventude hoje não está discutindo lazer, não está discutindo cultura, não está discutindo esporte. A juventude hoje está discutindo sobrevivência. A juventude está tentando sobreviver, está tentando ter o que comer dentro de casa”, completou o jovem petista.

Assista à entrevista completa com Pedro Matias: