Fale Conosco

Foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (09) pela Polícia Federal a Operação Select, que investiga a venda superfaturada de testes rápidos para detecção da Covid-19 com valor de até 89% superior às prefeituras paraibanas. Segundo apurado, a empresa que fornecia os testes não era do ramo de insumos médicos. Os recursos utilizados para a compra do material eram destinados pelo SUS para o enfrentamento ao coronavírus.

A PF cumpriu 28 mandados de busca e apreensão em empresas e órgãos públicos nas cidades de João Pessoa, Santa Rita, Caldas Brandão, Mamanguape, Cuité de Mamanguape, Alhandra, Lagoa de Dentro, Serra da Raiz e Lagoa. Esses municípios teriam comprados, nos anos de 2020 e 2021, os testes rápidos através de licitações, em tese, fraudadas, com sobrepreço potencial.

Os mandados foram expedidos pela 16ª Vara Federal em João Pessoa, 12ª Vara Federal em Guarabira e 8ª Vara Federal em Sousa, com pareceres favoráveis do Ministério Público Federal. As investigações indicam que o dano ao erário pode ultrapassar os R$ 2,8 milhões.

Também participa da Operação Select o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público Federal (MPF) e da Controladoria Geral da União (CGU).