Fale Conosco

Ao participar do encontro “Energia não é mercadoria – a luta contra a privatização da Eletrobrás”, a senadora Nilda Gondim (MDB-PB) disse que a manutenção das Centrais Elétricas Brasileiras como empresa pública é uma questão de soberania nacional. A reunião virtual, ocorrida na manhã desta sexta-feira (28), foi organizada pelo Movimento em Defesa da Eletrobrás e teve grande adesão de representantes de entidades sindicais e parlamentares. Em pauta, a perspectiva de privatização da empresa pública responsável pelo fornecimento de energia no Brasil.

Nos próximos dias o Senado Federal deverá votar o Projeto de Lei de Conversão 7/2021, já aprovado na Câmara dos Deputados, que permite a privatização da Eletrobrás. A matéria surgiu da Medida Provisória 1031/2021 e já suscita forte debate entre os senadores.

Nas discussões desta sexta-feira, Nilda Gondim reafirmou que é preciso estudar com profundidade o projeto e analisar com cautela os dados apresentados pelos que defendem a privatização. Para a senadora emedebista, buscar mudanças e modernizar a empresa é importante, mas preservar o patrimônio e a soberania nacional é indispensável.

“Não podemos perder uma empresa tão importante estrategicamente por conveniências outras, ou por propostas até indecentes. Vamos vender uma empresa que continua dando lucro? Não há subterfúgios que justifiquem vender uma empresa tão importante que beneficia tantas pessoas com tarifas que devem ser baixas, especialmente para a população com dificuldades para pagar a conta de luz. Vamos analisar os dados apresentados, modernizar, mas preservar o que é nosso”, enfatizou.

A senadora paraibana Nilda Gondim também conclamou os colegas senadores a se unirem em um grande movimento para “não permitir que o povo brasileiro seja prejudicado com a perda da Eletrobras”.