Fale Conosco

Fim de um mistério. O resultado das investigações feitas pela Polícia Civil do Distrito Federal apontam que a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) caiu, ‘da própria altura’, provavelmente em decorrência de efeitos de remédio para dormir. As hipóteses de atentado e agressão foram descartadas.

Na madrugada de 18 julho, segundo relatado pela parlamentar, ela acordou com marcas de sangue pelo chão, além de múltiplas fraturas, no apartamento onde mora, na capital federal. Joice dizia que não lembrava de absolutamente nada do que teria acontecido.

A nota da corporação informa: “A Polícia Civil do Distrito Federal, por intermédio da 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte), concluiu as investigações do caso da Deputada Joice Hasselman no sentido de ‘queda da própria altura’, possivelmente decorrente dos efeitos de remédio para dormir“.

A Polícia Civil ainda divulgou que o inquérito foi encaminhado ao Judiciário e ao Ministério Público. Em nota, Joice afirmou que “reitera sua confiança no trabalho da polícia” e que “depois do fato, porém, reforçou a segurança em seu apartamento por conta da vulnerabilidade dos imóveis funcionais”.

O advogado da parlamentar, Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay, também disse que “confia no trabalho técnico da Polícia Civil de Brasília”. Além disso, ele afirmou que “acata a decisão técnica do IML [Instituto de Medicina Legal]”.

A Polícia Civil informou ainda que periciou o apartamento da deputada. Além disso, os investigadores disseram que o inquérito foi baseado na apuração da própria corporação. A Polícia Legislativa já havia constatado que não houve invasão no imóvel de Joice.

Confira a íntegra da nota da deputada após divulgação das conclusões da polícia:

“Informamos que deputada federal Joice Hasselmann e sua defesa técnica tomaram conhecimento do desfecho da investigação.

A Polícia Civil do Distrito Federal concluiu que o incidente sofrido por ela, no dia 18 de julho, causando cinco fraturas no rosto e uma na coluna, foi resultado de uma queda da própria altura – hipótese inicialmente considerada menos provável pelos médicos mediante o número de traumas constatados por tomografias.

Joice reitera sua confiança no trabalho da polícia. Depois do fato, porém, reforçou a segurança em seu apartamento por conta da vulnerabilidade dos imóveis funcionais. Os apartamentos não possuem câmeras em pontos fundamentais, como as escadas internas e vãos dos corredores que dão acesso às portas de entrada. Já há um encaminhamento feito pela Procuradoria da Mulher para a presidência da Câmara que pede a instalação de novos equipamentos para garantir a segurança.

Assessoria de Comunicação

Deputada Federal Joice Hasselmann”

Com informações do G1.