Fale Conosco

O Ministério Público da Paraíba irá investigar os casos dos agentes de Segurança Pública da Paraíba que se recusaram a tomar a vacina contra a Covid-19. De acordo com dados apurados, cerca de 500 policiais e bombeiros rejeitaram a imunização. Eles assinaram documento afirmando que não tomariam as doses, entretanto, as motivações não foram apresentadas.

O coordenador do Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial (Ncap), o promotor de justiça Guilherme Lemos, informou, em nota, que “deve avaliar a questão, a fim de verificar se há medidas legais a serem tomadas nesse caso”.

Os profissionais da Segurança Pública como policiais militares, policiais civis e bombeiros estão incluídos no grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19, conforme Plano Nacional de Imunização (PNI). Ainda há relatos em diversos Estados de recusa do imunizante por essa categoria.

Segundo dados obtidos pela Lei de Acesso à Informação (LAI), pelo menos 485 agentes se negaram a tomar as vacinas. Na Polícia Militar (PM), 55,22% da corporação recebeu a primeira dose do imunizante, o que corresponde a 5.940 policiais. Entre agentes da ativa e da Guarda Militar da Reserva, 410 se opuseram a aplicação da dose. Na Polícia Civil, 26 agentes não quiseram ser vacinados.

No Corpo de Bombeiros, até o dia 28 de junho, 87% do efetivo foi imunizado, ou seja, 1.129 bombeiros militares. Já outros 49 membros da corporação recusaram a primeira dose da vacina.

Em nota, a Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Sesds) justifica “que a imunização é facultada a esses servidores. As doses oferecidas e não aplicadas serão remetidas à Secretaria de Estado da Saúde”.

Veja na íntegra:

NOTA

A Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Sesds) em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde está aplicando doses de vacina contra o coronavírus nos servidores das Forças de Segurança, empenhados diretamente no enfrentamento à pandemia, de acordo com o que determina o Plano Nacional de Imunização (PNI). 

Até sexta-feira (9), será finalizado o processo de vacinação da 1a dose para os policiais e bombeiros da ativa, e finalizado o levantamento por parte de cada órgão – Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros Militar, com a quantidade de vacinas aplicadas. 

A Sesds informa ainda que a imunização é facultada a esses servidores. As doses oferecidas e não aplicadas serão remetidas à Secretaria de Estado da Saúde.

 

Com informações do Portal T5