Fale Conosco

A tradicional transmissão ao vivo realizada por Jair Bolsonaro em suas redes sociais será um pouco diferente nesta quinta-feira (29). Ele, que promete apresentar as supostas provas de fraude nas urnas eletrônicas, chamou a imprensa para acompanhar o momento. Mas os jornalistas não poderão fazer perguntas.

Segundo o Planalto, 25 profissionais devem estar presentes na transmissão, que será realizada na biblioteca do Palácio do Alvorada a partir das 19h.

Há mais de um ano, o presidente promete que vai apresentar provas de fraude eleitoral. Agora, Bolsonaro que aparece atrás nas pesquisas eleitorais para 2022, intensificou a desconfiança sobre o sistema de votação, fazendo ameaças golpistas caso o voto impresso não seja aprovado.

As provas as quais o mandatário deve apresentar se referem ao segundo turno de 2014, quando Dilma Rousseff (PT) foi eleita. Ele também alega ser vítima da fraude, afirmando que seria eleito no primeiro turno em 2018, se as eleições fossem limpas.

“Vai ganhar eleições quem tem voto. Se não for dessa maneira, poderemos ter problema em 2022. E não quero ter problema”, disse Bolsonaro aos apoiadores em frente ao Alvorada.

O questionamento do presidente às urnas eletrônicas não é novidade e foi uma de suas bandeiras de campanha. Quando deputado, Bolsonaro foi o autor da proposta que determinava que as urnas emitissem um recibo com as escolhas de cada eleitor. Aprovada pelo Congresso em 2015, a emenda constitucional foi anulada pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

Bolsonaro tentou ressuscitar a ideia, mas o Planalto já admite que é inviável a aprovação da PEC (proposta de emenda à Constituição) do voto impresso na comissão especial que avalia a matéria.

Folha de S. Paulo