Fale Conosco

Um laboratório apontou fraudes em laudos com sua logomarca de testes de Covid-19  que foram mascarados por torcedores para assistir à final da Copa América na noite deste sábado (10) no Maracanã, no Rio de Janeiro, entre Brasil e Argentina.

Ao menos 17 exames que usam a marca desse laboratório já foram identificados como falsificados. Como não há um local de referência para a realização do teste RT-PCR exigido ao público da partida, a fraude pode estar ocorrendo com os documentos de outras empresas.

Em nota, a Conmebol reconheceu ter detectado “uma considerável quantidade de testes de PCR fraudulentos”. A entidade afirmou que as pessoas com laudos falsificados não poderão entrar no estádio.

“A Conmebol assegura que os controles para o ingresso à final da Copa América serão extremamente rigorosos”, disse a entidade em nota.

Uma das exigências do município foi a apresentação de teste RT-PCR negativo feito 48 horas antes da partida. O objetivo é evitar que o evento seja local de transmissão do novo coronavírus, em razão da pandemia.

A Conmebol, contudo, não tem um laboratório de referência, com o qual mantenha alguma ferramenta de checagem dos testes apresentados.

A proprietária da Laborlife, Priscila Amaral, disse ter sido informada por um cliente argentino que uma pessoa estava oferecendo laudos da empresa por R$ 150 sem a necessidade de realização de exame. A clínica cobra R$ 450 para testes de emergência, com resultado entregue em seis horas.

Amaral disse ter entrado em contato com o consulado argentino, que repassou a informação à Conmebol. A empresária afirma que a fraude consiste na troca dos dados do paciente testado a partir de um laudo negativo real.

“Minha equipe de informática fez às pressas uma ferramenta para checagem dos laudos. De cara identificaram dois laudos falsos. Se está acontecendo comigo, pode estar acontecendo com vários outros laboratórios”, disse.

Redação com FolhaPress.