Fale Conosco

A juíza Francilucy Rejane de Sousa Mota, da 2ª Vara do Tribunal do Júri de João Pessoa, aceitou denúncia contra Jonathan Henrique nessa terça-feira (29), tornando o jovem réu pelo assassinato de Patrícia Roberta.

Conforme a magistrada, há “exposição dos fatos criminosos, com todas as suas circunstâncias, a qualificação do acusado, a classificação do crime e rol de testemunhas”, para considerar a “autoria e prova da existência de crime”.

A Polícia Civil indiciou Jonathan pelos crimes de feminicídio e ocultação de cadáver de Patrícia. Ivyna Oliveira, namorada do rapaz, também foi indiciada por ocultação de cadáver, porém apenas Jonathan virou réu.

No dia 27 de abril, Patrícia Roberta foi encontrada morta no bairro do Geisel, em João Pessoa. Conforme resultado do laudo, a causa da morte da jovem de 22 anos foi asfixia por esganadura.

Ao ser preso, Jonathan permaneceu calado em seu depoimento. Após audiência de custódia, realizada no dia 28 de abril, foi determinada a condução do rapaz para o presídio do Roger, na Capital, após quarentena na Central de Polícia.