Fale Conosco

O Ministério da Economia informou que reduzirá a zero — até 31 de dezembro deste ano — a alíquota do imposto de importação para o arroz em casca e beneficiado. Apesar da tentativa do governo de evitar o desabastecimento, a Associação Paraibana de Atacadistas e Distribuidores está preocupada com a disparada na exportação do produto que faz parte do dia a dia do brasileiro.

O presidente da entidade, Vanduhi de Farias, disse que o mercado já teme o desbastecimento do produto, pois a falta do alimento já pode ser vista nas distribuidoras. De acordo com ele, apenas dois containers de arroz estão sendo liberados pelos produtores por atacado, oito a menos em relação ao que era até pouco tempo.

“O mercado de atacado tem pouco arroz em estoque para vender na Paraíba e as arrozeiras estão sem tabela. Todo dia é uma diferente. O produtor está preferindo exportar do que vender no mercado interno devido a alta no dólar (hoje em R$ 5,30). Se antes a gente comprava 10 containers de arroz, hoje está sendo liberado um ou dois”, contou Vanduhi.

Apesar de reconhecer a ação do imposto, Vanduhi criticou a decisão do governo em notificar a Associação Brasileira de Supermercados (ABAS) e os representantes de produtores de alimentos para esclarecer o aumento dos preços dos alimentos que compõem a cesta básica.

“Se o governo começar a apertar os supermercados e os atacadistas, que são os prestadores de serviço para os supermercados, com essa história vai piorar a situação. O problema está na exportação. Apenas somos um repassados daquilo que adquirimos na indústria”, concluiu.