Fale Conosco

Em ao menos 84 ocasiões, o governo federal buscou adquirir do exterior o medicamento hidroxicloroquina, que não possui eficácia comprovada contra a Covid-19, mostram telegramas do Itamaraty enviados à CPI da Covid e obtidos pelo Globo.

Os telegramas mostram que os esforços estiveram concentrados com a Índia, mas também os Estados Unidos. Os contatos ocorreram até junho do ano passado, enquanto o governo investia no aumento da produção do medicamento pelo Laboratório Químico e Farmacêutico do Exército (LQFex).

Diante das limitações de exportação de medicamentos da Índia, Jair Bolsonaro chegou a falar diretamente com o primeiro-ministro Narendra Modi, em abril do ano passado. No telefonema, Bolsonaro “intercedeu em nome de empresas brasileiras, pedindo que a Índia liberasse a exportação dos produtos”, segundo a reportagem do Globo.

No final das contas, a compra não teve sucesso. “Após consulta à área técnica pertinente, cujo parecer encaminho em anexo para conhecimento, este ministério entende não ser necessário proceder com a aquisição do medicamento”, escreveu Flavio Werneck, Assessor Especial do Ministério da Saúde para Assuntos Internacionais.

A Diretora do Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos, Sandra de Castro Barros, reforçou a atuação do governo brasileiro em favor das farmacêuticas que produzem cloroquina. Ela diz que o Ministério das Relações Exteriores atuou por “ações de exportação ao Brasil, em favor de empresas produtoras do medicamento hidroxicloroquina para atender ao mercado interno”.

Brasil 247.