Fale Conosco

O Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB) está investigando um possível esquema criminoso que já teria desviado R$ 2,8 milhões dos cofres da Prefeitura de Marizópolis pelo prefeito Zé de Pedrinho (PSDB), acusado de ser o verdadeiro dono de uma empresa de locações de automóveis em nome do primo, Francisco Ferreira.

De acordo com a denúncia, apresentada pela vereadora Maria Betânia da Silva Alexandre Souza, a empresa F. Ferreira Locações (CNPJ – 26.354.247/0001-08) com sede na cidade de Iguatu, no Ceará, foi criada uma semana depois que o atual gestor venceu as eleições de 2016 e, atualmente, tem como único cliente o município de Marizópolis, governado pelo primo do dono oficial.

Documentos apresentados ao Gaeco apontam que a empresa chegou a faturar da Prefeitura de Marizópolis no ano de 2017 um total de R$ 795.675,00. Em 2018, o valor foi de R$ 854.100,00 e em 2019 a quantia chegou a R$ 795.115,00. Até junho desse ano o executivo já havia pago o montante de R$ 397.350,00. No total, a Prefeitura desembolsou R$ 2.842.240,00. Esse valor daria para o Município adquirir 60 carros populares 0km, pelo valor de R$ 47.370,66, cada.

Na denúncia, a vereadora afirma ainda que a empresa loca automóveis apenas para a Prefeitura de Marizópolis, ou seja, não presta serviço para mais nenhum outro município do Brasil, o que demonstraria que o “esquema” funcionaria com o aluguel de carros de correligionários do prefeito por parte da locadora, que por sua vez, aluga-os ao município”.

Carro declarado por prefeito também foi locado

Segundo os documentos anexados na denúncia, a empresa chegou a locar um carro Voyage 1.6, Flex, cor branca, placa OFG 7016, de propriedade do próprio prefeito Zé de Pedrinho para prestar serviço a Prefeitura. Essa locação já rendeu R$ 153.750,00 ao proprietário num aluguel mensal de R$ 3.750,00.

Conforme os relados da denúncia, os outros proprietários dos veículos que são locados pela empresa para serem colocados à disposição da Prefeitura, nunca tiveram nenhum contato com o dono da empresa, eles sequer sabem o nome do empresário. “É o próprio prefeito que faz todo o acordo no gabinete da Prefeitura, acertando os valores, direciona para qual secretaria o carro irá ficar a disposição e ainda indica o condutor”, diz o documento.