Fale Conosco

Ancelmo Rodrigues, ex-secretário de agricultura e pesca da cidade de Conde, se mostrou inconformado com a exposição de seu supersalário, avaliado em R$24.500, e acusou o Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) e o Sagres de promover fake news.

Em suas redes sociais, Ancelmo insinuou que um contrato de aluguel da atual gestão teria o desmoderado valor de R$21.600 mensais – a cifra, no entanto, se referia a um valor anual. Em contrapartida, foi exposto, por algumas pessoas da internet, que o ex-secretário teria recebido o montante de R$24.500 ao “apagar das luzes” da gestão da ex-prefeita Márcia Lucena.

Para tentar se defender, Ancelmo Rodrigues até divulgou seu Imposto de Renda, onde realmente não consta o valor. Mas, no Sagres, portal de transparência do TCE-PB, a história é outra, confirmando a denúncia de que o ex-secretário recebeu a quantia citada.

Um detalhe torna o pagamento ainda mais irregular: Ancelmo se afastou da pasta em abril, para concorrer ao cargo de vereador, sendo readmitido em dezembro. Diante disso, o valor não seria justificado nem se comportasse o pagamento de férias e 13º. Ainda conforme o Sagres, o salário mensal do cargo de secretário era de R$6 mil. Nos anos anteriores em que ele trabalhou integralmente, no último mês do ano, a remuneração recebida foi de R$12 mil.

Todos esses valores estão disponíveis para consulta pública no portal do Sagres, no site do TCE-PB. Qual seria a justificativa para o ex-secretário ter recebido todo esse dinheiro ao fim da gestão da ex-prefeita Márcia Lucena?

Confira: