Fale Conosco

Em recente entrevista à uma emissora de rádio de Campina Grande, o Secretário-Executivo de Saúde da cidade, o médico cirurgião Gilney Porto, reconheceu que a gestão do prefeito Bruno Cunha Lima (PSD) paga ‘salários irrisórios’ para profissionais da saúde. Entretanto, uma pesquisa feita junto ao Sagres Online do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) mostrou que parentes do secretário, diferente da maioria dos servidores da pasta, ganham muito bem.

A começar pela sua tia, Maria da Piedade Porto de Vasconcelos, atual diretora administrativa do Hospital Municipal Dr. Edgley Maciel, ligado a Secretária Municipal de Saúde, que recebe mensalmente R$ 5 mil. Em seguida temos, o motorista do Secretário-Executivo de Saúde da cidade, Raniere Porto Lima – que ganha R$ 3.000/mês. Até a cunhada do secretário, atual diretora do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (ISEA), Suelen Clementino, que publicamente já reclamou na imprensa a superlotação da maternidade, cobrando soluções da atual gestão. Ela supostamente ganha, entre salario e plantões, até R$ 35 mil.

Em recente entrevista Gilney disse: “Eu quero agradecer a todos os profissionais da saúde, inclusive os da vacinação que estão dando sangue para ver a população vacinada, mesmo com salários irrisórios, onde vemos que as pessoas estão ali dando o sangue mesmo, lutando por isso”, declarou. Até pouco tempo, Gilney Porto era sócio do Dr. Tito Lívio Vieira de Souza e Cavalcanti (cunhado de Bruno), na empresa T&G Consultório Médico LTDA – ME (CNPJ n° 30.557.090/0001-87). Tito Lívio é o atual diretor do Hospital Municipal Pedro I.