Fale Conosco

Um encontro virtual marcou essa sexta-feira (23). Líderes de nove partidos de oposição (PT , Psol, PSB, PDT, Rede, PV, PCdoB, Cidadania e UP), associações, movimentos sociais, estudantes, juristas, ex-bolsonaristas, lideranças religiosas e parlamentares do DEM, PSL e PSDB definiram manifesto pela unificação dos mais de 105 pedidos de impeachment de Jair Bolsonaro protocolados na Câmara dos Deputados.

A deputada Talíria Petrone (Psol-RJ) e o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), líderes de seus partidos na Câmara, serão os autores do manifesto. A ideia do chamado superpedido é aumentar a pressão sobre o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), para que coloque o tema em pauta.

A primeira reunião do grupo contou com cerca de 170 participantes. A ideia da Plenária Nacional do Impeachment foi definida em reunião entre líderes das legendas realizada no dia 13 de abril. O grupo pretende ainda desenvolver ações que envolvem a aceleração da vacinação da população contra a covid, além da retomada do auxílio emergencial de R$ 600.

Entre as lideranças de esquerda, os pensamentos e discursos se complementaram. “Um presidente genocida por ação e por omissão, na pandemia, com a fome e a miséria se alastrando pelo país, precisa ser afastado. Precisamos pressionar pela abertura do processo de impeachment. Essa pauta nos unifica”, afirmou a presidenta do PT, Gleisi Hoffmann.

A reunião também contou com a presença de lideranças religiosas, juristas e ativistas sociais, como Raimundo Bonfim, da Central de Movimentos Populares (CMP), e Douglas Belchior, da Coalização Negra por Direitos.

Foto: apublica.org