Fale Conosco

A primeira dama do Estado, Pâmela Bório, armou o maior barraco ontem na Secom. Chegou subindo nas tamancas e quase usa as escadas de tanta pressa que tinha de pedir ao secretário Nonato Bandeira a cabeça da servidora efetiva Sandra Magali, que é jornalista e produtora.

Sandra, que é profissional qualificada e trabalhou em todos os governos nos últimos anos, recebeu a incumbência de recadastrar emails e telefones de todos os formadores de opinião da Paraíba.

Cumprindo a missão que lhe foi dada, ligou para a TV Tambaú e por falta de sorte quem atendeu foi a jornalista Pâmela Bório, que além de primeira dama é apresentadora de um telejornal daquela emissora.

Começou a fazer as perguntas normais de um recadastramento de dados e logo foi interrompida pela primeira dama.

– Você não é aquela moça que disse que eu deveria ter meu filho em uma maternidade municipal para ver se prestava? – questionou Pâmela já alterando a voz.

-Sim, fui eu mesma – responde Sandra.

Do outro lado da linha o telefone foi colocado com certa violência no gancho e Sandra entendeu que ia pintar barraco, saia justa, ziriguidum e baixaria. Tudo junto.

Voltando a entrada apoteótica da primeira dama ontem na Secom, que fica no sexto andar do Centro Administrativo, em Jaguaribe, ela subiu no elevador fumaçando e passou feito uma bala pelo corredor, foi até a sala de Nonato e exigiu a cabeça de Sandra num prato ao molho de azeite de dendê.

Ainda não é oficial, mas Sandra está sendo transferida. E não deve ser para um local do seu agrado.

Manda quem pode, obedece quem tem juízo. Essa é a nova Paraíba.

Em tempo: há quem diga que o bate-boca não foi quando Sandra ligou pra TV Tambaú, pois Pâmela está de férias, mas quando Pâmela ficou sabendo que Sandra estaria a frente desse trabalho e ligou pra confirmar, ou que Pâmela foi direto na sala que Sandra trabalha e bateu boca com ela. O que tá confirmado é que o barraco existiu. E a cabeça de Sandra rolou….