Fale Conosco

Aos 42 anos, o ator e humorista Paulo Gustavo morreu na noite desta terça-feira (04), vítima das complicações causadas pela Covid-19. Ele estava internado desde o dia 13 de março no no Hospital Copa Star, na cidade do Rio de Janeiro.

A pedido do ator, seu corpo será velado no Theatro Municipal do Rio, conforme informações da coluna de Ancelmo Goes, do Jornal O Globo. O governo prontamente atendeu a solicitação, colocando o espaço à disposição. A cerimônia de despedida seguirá os protocolos sanitários exigidos em razão da pandemia, sendo restrita a familiares.

O artista se consagrou na dramaturgia brasileira com personagens marcantes, a exemplo da Dona Hermínia, alcançando sucesso nas bilheterias com o filme “Minha mãe é uma peça”, que ganhou duas continuações. Lançado em 2019, o longa mais recente da triologia se tornou a comédia com maior público da história do cinema nacional.

Na noite do último domingo (02), Paulo Gustavo apresentou uma piora em seu quadro de saúde, após sofrer uma embolia pulmonar. Mais cedo, vinha apresentando melhoras significativas – chegou a ter redução de sedativos e bloqueadores e a interagir com médicos e com o marido, Thales Bretas.

Poucas horas antes de seu falecimento, um boletim médico divulgado pelo hospital informou que seu estado de saúde era irreversível, porém mantinha os sinais vitais. A confirmação da morte do humorista aconteceu às  21h12.

Paulo Gustavo deixa o marido, Thales, e dois filhos pequenos, Gael e Romeu, além do pai, Júlio Marcos, da irmã, Juliana Amaral, e da mãe, Déa Lúcia Amaral, que inspirou a criação de Dona Hermínia.