Fale Conosco

As bancadas do PR no Senado e na Câmara receberam nesta terça-feira um convite do Palácio do Planalto para voltar oficialmente à base aliada. O partido, no entanto, espera uma definição do governo sobre a retomada de um ministério para dar uma resposta.

O PR deixou a base aliada do governo Dilma Rousseff há sete meses, após a crise que derrubou a cúpula da legenda do setor de transportes.

O presidente do partido, senador Alfredo Nascimento (AM), deixou o Ministério dos Transportes em meio às acusações de superfaturamento de obras e recebimento de propina envolvendo servidores e órgãos ligados à pasta. O ministério foi entregue a Paulo Sérgio Passos, filiado ao partido, mas considerado uma indicação da cota pessoal da presidente.

Os líderes do PR na Câmara, deputado Lincoln Portela (MG), e no Senado, Blairo Maggi (MT), foram recebidos hoje pela ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) no Palácio.

A conversa acabou sem uma definição. O PR quer ainda uma conversa com Dilma. “Ministério é o que temos em nosso horizonte. Temos tamanho suficiente para isso”, disse Maggi.

A declarada independência do partido ainda não se transferiu para as votações no Congresso. O partido tem apoiado o governo nas principais discussões.

O PR ainda permanece no comando de boa parte das superintendências do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) nos Estados.

Folha