Fale Conosco

Concordo com a análise pertinente do professor universitário e analista da cena política Flavio Vieira, publicada neste domingo no blog de Helder Moura, quando cita dois exemplos rcentes para avaliar como excelente a performance da candidata de Veneziano a PMCG, Tatiana Medeiros. João da Costa na eleição de 2008 a prefeito do Recife, e Dilma na recente eleição presidencial.

Ambos são cases de sucesso, foram auxiliares de quem receberam a missão de suceder e começaram a aparecer nas pesquisas aos poucos. João da Costa tinha 8% e o seu adversário, Mendonça Neto, tinha 22%; Dilma levava um banho de serra na estimulada, mas chegava muito perto quando a pesquisa era espontânea.

Aberta as urnas, quem se elegeu foi Dilma e não Serra, João da Costa e não Mendonça Neto. A história pode se repetir em Campina, mas para que isso aconteça todos que estão comprometidos com o projeto de fazer Veneziano governador tem que entender que chegou a hora de arregaçar as mangas por uma única candidatura.

A eleição de Daniella ou Romero fará o destino soprar noutra direção, catapultando outros ao projeto de 2014, trazendo outros para substituir quem está na gestão desde 2005.

Não se concebe que um grupo que queira fazer o governador cochile tanto e peque pela dispersão e lerdeza. Enquanto os venezianistas se dispersam entre várias candidaturas, inclusive a de Daniella, os Cunha Lima fecham com Romero e os Ribeiros voltam a sonhar com a retomada dos cinquenta por cento dos votos da cidade que antes lhes pertenciam.

Quantos vereadores da base de Veneziano estão integrados a campanha de Tatiana? Que eu saiba só Marcos Raia, Pimentel e Cassiano. O resto faz corpo mole aproveitando-se da tolerância de Veneziano.

Tenho ouvido do próprio Veneziano a frase de que “a hora de segurar o leite é agora e que depois não adianta chorar o leite derramado”, referindo-se a oportunidade que se aproxima para manter Campina avançando e o grupo comandando os destinos.

Acho que o justo seria aqueles auxiliares ou vereadores e lideranças que não queiram acompanhar veneziano na jornada até o Palácio da Retenção em 2014 saltarem do metrô agora, pois a eleição de sua candidata Tatiana já é a condição sine qua non para credenciar-lhe como o candidato anti-Ricardo Coutinho.

A lógica deveria ser essa: quem está com Tatiana está com Veneziano e quem não está fez sua opção e está contra.Os que não estão, em tese, deveriam entregar seus cargos.

Há em Campina uma esfinge dizendo aos venenzianistas: DECIFRA-ME OU TE DEVORO.