Brasil

“Nem penso nisso”, diz Moro sobre candidatura à Presidência

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, comentou a aprovação de 59% da população sobre seu trabalho e as chances que teria de se candidatar à Presidência da República nas eleições de 2022. Moro concedeu entrevista exclusiva a José Luiz Datena, da Band, nesta segunda-feira, 8.

“Eu nem penso nisso”, afirmou o ministro sobre uma candidatura futura, mas também não esclareceu se descarta totalmente a ideia.

“As pesquisas são relativas, mas de todo o modo, claro, me traz felicidade”, acrescentou ainda comentando pesquisa Datafolha, divulgada no domingo, 7, que também mostrou rejeição do presidente Jair Bolsonaro.

Moro atribui essa porcentagem de aprovação ao seu trabalho realizado em anos de Operação Lava Jato e que ele tenta levar para a Pasta. “É aprovação de um projeto, que é firme no combate contra a corrupção, ao crime organizado e crimes violentos.”

“É uma sinalização de que estamos na direção certa”, completou. “Mas eu tenho pé no chão, sei que há muito a ser feito ainda.”

Sobre o projeto anticrime que está propondo no Congresso, Moro voltou a defendê-lo e disse ser possível apreciar a matéria junto da reforma da Previdência.

“São dois projetos importantes, tenho apreço pelo ministro Paulo Guedes (Economia), o projeto dele para a nova Previdência é consistente; é preciso deixar o sistema justo e igual, senão não haverá Previdência para nossos filhos”, disse. “Mas tratar de segurança pública e Justiça também responde a um anseio da população, e eu não vejo incompatibilidade [de votar os dois projetos ao mesmo tempo], mas quem decide isso é o Congresso.”

O ministro também destacou os avanços da Lava Jato nos últimos cinco anos e disse que é preciso ficar atento para que não ocorra retrocessos.

“Antes, era um sistema [político] no qual a grande corrupção era praticamente impune; agora passamos para um momento em que as pessoas que cometem crimes, mesmo as poderosas, estão respondendo na Justiça, inclusive várias estão condenadas e presas.”

“Sempre existe risco de retrocesso, a história nunca termina, mas eu, juízes e cidadãos em geral temos que trabalhar para que esse momento continue.”

A entrevista completa com o ministro Sérgio Moro será exibida no programa Brasil Urgente desta terça-feira, 9, a partir das 16h.

Uol

Tags: Tags: