Fale Conosco

O deputado Manoel Junior (PMDB-PB) voltou a condenar os índices alarmantes de violência na Paraíba, onde a criminalidade cresce em proporções assustadoras, diante do que ele chama de “inércia e omissão das autoridades responsáveis pela segurança pública, cegas em face da situação miserável em que se encontram os órgãos de segurança pública paraibanos”.

De acordo com o peemedebista, nas delegacias de polícia espalhadas pelo Estado, a infraestrutura é precária, com prédios sem condições de funcionamento, viaturas quebradas, falta de agentes e de motoristas.

anoel Junior lembrou dos dados divulgados pelo Ministério da Justiça por meio da pesquisa ‘Perfil das Instituições de Segurança Pública’, onde se constatou que para um efetivo de aproximadamente nove mil homens, existem somente 850 algemas, 2.252 coletes à prova de balas, 2 escudos, 185 capacetes, 4.471 revólveres. “Isso significa, que na Paraíba, são onze policiais para cada par de algemas, quatro para cada colete à prova de balas, 4.849 para cada escudo, 52 para cada capacete e o mais assustador, um revolver, para dois policiais”.    

O parlamentar ressaltou que no ano 2000, João Pessoa era a 15ª Capital mais violenta do País e hoje, ocupa a 2ª posição entre as capitais e a 6ª posição, entre as cidades brasileiras com mais de 300 mil habitantes.   

O deputado alertou que “Proporcionalmente, mata-se mais na Paraíba do que na Guerra do Iraque, com o índice de aproximadamente 80 mortes violentas para cada 100 mil habitantes; o que coloca nosso o Estado, conforme os parâmetros adotados pela Organização Mundial da Saúde, em um quadro de epidemia”, lamenta Manoel Junior.

 

O peemedebista também chamou a atenção para as inspeções realizadas pelo Ministério Público Estadual em dez delegacias de oito municípios paraibanos que constataram irregularidades na instauração de inquéritos, na lentidão dos inquéritos, na falta do registro de ocorrências, assim como, nos processos de roubo, violência e furto que não tinham sido instaurados. E lamentou indignado que enquanto os órgãos de segurança pública estaduais jazem inertes, a população paraibana, vítima da leniência e da omissão dos responsáveis sofre com os desmandos de um governo irresponsável.

 

Manoel Junior subiu o tom quando falou da manipulação dos dados estatísticos por parte do Governo do Estado e disse ser um absurdo, o fato de na Paraíba, se sonegar da população e do Ministério da Justiça, a cruel realidade que se abateu sobre a Paraíba.