Fale Conosco

A Justiça Federal recebeu a denúncia protocolada pelo Ministério Público Federal nesta quarta-feira (21) contra acusados de integrar organização criminosa que desviou verbas da merenda escolar de Campina Grande, orcrim desbaratada pela Operação Famintos, da PF. Em decisão proferida pelo juiz federal Vinicius da Costa Vidor, 23 pessoas se tornaram réus em uma das maiores operações policiais da história da Paraíba, incluindo o atual secretário de Educação, ex-auxiliares da gestão Romero Rodrigues, servidores e empresários.

Dando nome aos bois, foram denunciados pelo MPF o ex-secretário de Administração do município, Paulo Roberto Diniz; as ex-secretárias de Educação, Iolanda Barbosa e Verônica Bezerra; o atual secretário de educação do município, Rodolfo Gaudêncio, que na época dos fatos investigados era assessor jurídico da pasta; a ex-pregoeira oficial do município, Gabriella Coutinho; o ex-chefe de licitações da prefeitura, Helder Giuseppe; a ex-diretora administrativa da Educação, Maria do Socorro Menezes de Melo; Maria José Ribeiro Diniz (esposa de Paulo Diniz), além de outros 10 servidores da prefeitura e 5 empresários.

Na decisão, o juiz determinou a citação dos réus para oferta de defesa, no prazo de 10 dias, determinando, ainda, que seja marcada data para audiência de instrução, para ouvir os réus, as testemunhas de defesa e as testemunhas de acusação.

Veja a decisão na íntegra: