Fale Conosco

O número de consumidores com contas em atraso em João Pessoa no mês de novembro saltou 120% e poderá influenciar nas vendas de final de ano. No levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) de João Pessoa, a inadimplência registrou 4.946 consumidores com dívidas atrasadas no último mês, contra menos da metade em novembro do ano passado (2.248). No acumulado de janeiro a novembro deste ano, a inadimplência aumentou 14,96%. Nos onze meses, 30.678 pessoas foram incluídas no SPC contra 26.721 do ano passado.

Para o diretor do SPC de João Pessoa, Lindemberg Vieira, o número de inadimplentes pode refletir nas vendas deste final de ano. “O volume desses consumidores ausentes do comércio faz falta e as vendas devem diminuir com isso. A situação de vendas não é só a inadimplência que prejudica. Temos uma inflação de mais de 6% e isso eleva a possibilidade de não ter dinheiro circulando. Além dos juros do cartão de crédito, que varia de 17% a 21%. É um absurdo, as pessoas não têm condições de pagar, principalmente aquelas com salários menores. O governo deve tomar providência”.

Segundo Vieira, a Copa e as eleições influenciaram os números da inadimplência neste ano. Ele ainda acredita que o 13º salário será usado para ajuste de contas para que as pessoas possam realizar as compras de fim de ano. O aumento da inadimplência, para ele, está ligado à falta de educação financeira quanto ao crédito, pois utilizam o cartão como espécie de segundo salário.

O representante de vendas José da Silva foi ao SPC para regularizar as suas dívidas. “Tive consciência disso e vim pagar o que eu estava devendo. A saída do SPC vai me permitir novamente ter crédito na praça e começar a efetuar as compras de fim de ano”, contou.

REABILITAÇÃO
Contudo, houve também aumento expressivo de pessoas que pagaram suas contas atrasadas e saíram do SPC em novembro. Segundo dados do SPC, a reabilitação de crédito cresceu 81,33% em novembro na comparação com o ano passado. São 2.954 pessoas que saíram da lista de devedores na capital. Em novembro de 2013, apenas 1.629 pessoas reabilitaram o crédito nos órgãos de proteção ao crédito. Já quanto ao acumulado de janeiro a novembro deste ano, são 19.174 pessoas que tiveram o nome liberado pelo SPC. A variação é de 5,36% em relação a 2013, que teve 18.191 consumidores fora da lista de devedores.

CONTAS EM ATRASO SOBEM APENAS 2% EM CG 
O índice de inadimplência em Campina Grande ficou praticamente estável em novembro. O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) de Campina Grande registrou que 1.491 pessoas entraram no SPC em novembro deste ano, contra 1.467, do ano passado, alta de apenas 2%. No acumulado de janeiro a novembro, houve redução de 8,51% de inadimplentes, que passaram de 15.115 para 13.828 pessoas.

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade, Artur Melo Almeida, o índice ainda pode representar baixas nas vendas. “Se uma pessoa só puder comprar à vista, obviamente você vai comprar menos. Isso acaba interferindo no volume de vendas do comércio em geral”, explicou.

Já os que conseguiram ter o crédito reabilitado, o aumento foi de 4%, passando de 937, em 2013, para 970, em 2014. No acumulado de janeiro a novembro, o número está estável (-0,67%). Foram 8.176 devedoras no ano passado, contra 8.121 este ano.

JP