Fale Conosco

Terminou, por volta das 20h, a reunião entre a prefeitura de Patos e o SIMFEMP, onde foram discutidas as tratativas para o fim da greve, que já dura 47 dias, na cidade de Patos, Paraíba. A audiência, que começou no final da tarde, desta segunda-feira (21), no gabinete executivo, à rua Peregrino Filho, bairro da Brasília, durou cerca de três horas.

Estiveram presentes, além do prefeito Dinaldinho Wanderley (PSDB), secretários da edilidade, representantes dos sindicalistas, vereadores da Câmara Municipal de Patos e integrantes da imprensa. Bem diferente dos ânimos acirrados de antes, o entendimento foi a tônica ditada pelas partes envolvidas.

Satisfeita com as contrapropostas da prefeitura, a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Municípais de Patos e Região, Carminha Soares, disse que houve avanços e que o que estava faltando era o diálogo para que pudesse levar as propostas para os servidores continuarem a servir bem a população.

“Quarta-feira que vem, nós vamos apresentar essa nova proposta do prefeito, na sede do sindicato e vamos deliberar, em assembleia, para decidir se a greve acaba ou continua”, disse a sindicalista.

A Câmara de Vereadores  de Patos, fez-se representada, na ocasião, pela vereadora Edjane Araújo (PRTB) e pelo presidente, Sales Júnior (PRB), que disse que o papel do legislativo, nessa negociação, foi o de intermediar as discussões.

“Eu vejo uma participação importante do legislativo quando passa a ter conhecimento do que vinha sendo discutido entre a gestão e o movimento grevista, porque analisamos os pontos que precisam de flexibilidade, de ambas as partes, com mais propriedade; eu entendo, também, que um diálogo, um acordo, uma negociação não deve ter resistência, pois assim nunca se chega a um consenso para o fim da greve.”, comentou Sales.

O prefeito Dinaldinho Wanderley (PSDB) achou positiva a participação de alguns segmentos da sociedade, nessa reunião que, segundo ele, legitimou ainda mais as negociações, pois demonstrou além da transparência, o desejo do governo de por fim a greve.

“Espero que o sindicato cumpra o que foi acordado nessa reunião e que possa encerrar a greve que tanto prejudica a população, pois apresentamos melhorias em relação a todas as propostas anteriores; sempre dialogamos com o sindicato, de forma serena, correta, mesmo com algumas críticas injustas; esperamos que o sindicato use do bom senso, pois a prefeitura tem feito de tudo para que o servidor se sinta confortável em exercer o seu trabalho e a população possa ser assistida”, finalizou o prefeito.

Uma assembléia geral está marcada, para a próxima quarta-feira, dia 23, as 8h da manhã, na sede do Sinfemp, à praça Edivaldo Mota, centro, onde as contrapropostas apresentadas pela prefeitura, nesta reunião, serão votadas pela categoria; e, se aprovadas, ficará decretado o fim da greve dos servidores municipais.