Fale Conosco

Um membro do Parlamento Europeu afirmou, durante uma sessão na Casa, que as “mulheres devem ganhar menos que os homens porque são mais fracas, menores e menos inteligentes”. O Parlamento está investigando se, com o comentário, o polonês Janusz Korwin-Mikke quebrou o regimento interno, que proíbe difamação, racismo e xenofobia.

A declaração foi feita durante um debate sobre a desigualdade de gênero na Europa, em que os parlamentares discutiam a diferença salarial entre homens e mulheres, segundo o jornal português Público. A média europeia de desigualdade salarial, de acordo com a publicação, é de 16%.

Em um vídeo da sessão em que Korwin-Mikke defende que os homens deve ser melhor remunerados que as mulheres, a deputada espanhola Iratxe García-Pérez aparece repreendendo o colega polonês. “Eu sei que o fato de que as mulheres podem representar cidadãos europeus nesta Casa em igualdade de condições com você te incomoda e te preocupa. Venho defender as mulheres europeias de homens como você”, respondeu García-Pérez.

O grupo dos deputados socialistas e democratas exigiu do presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, “uma sanção exemplar contras as vergonhosas declarações” de Korwin-Mikke.

Segundo a rede britânica BBC, o parlamentar polonês pode ser punido com penas que vão de uma advertência a multa e suspensão temporária.

Esta não foi a primeira declaração polêmica de Korwin-Mikke no Parlamento Europeu. Em outubro de 2015, ele foi suspenso por dez dias por fazer uma saudação nazista na Casa e, no ano passado, foi suspenso por cinco dias e deixou de receber  dez dias de presença (3.060 euros, o equivalente a 10.000 reais) por comparar o fluxo de migrantes da Europa com “excremento”.

Fonte:Veja.com