Fale Conosco

O número de internações de crianças de 0 a 14 anos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) causada pela Covid-19 cresceu 74% na cidade de São Paulo, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde. O aumento foi registrado após cinco meses consecutivos em queda.

No mês de outubro, foram registradas 35 internações pela doença. Em novembro, o número saltou para 61.

Desde o início da pandemia, foram registradas 763 internações nessa faixa etária. A maior parte delas (64%) de crianças de 0 a 4 anos — foram 490 internações. Em seguida, vem as faixas dos 5 aos 9 anos, com 144 internações (19%); e dos 10 aos 14 anos, com 129 internações (17%).

As crianças somam 16.554 casos confirmados do novo coronavírus. Diferente das internações, concentradas nas mais novas, a maior parte dos casos está entre as crianças mais velhas. São 6.185 casos confirmados na faixa dos 10 aos 14 anos — 37% do total entre as crianças. Já faixa dos 0 aos 4 anos acumula 5.320 casos e a dos 5 aos 9 tem 5.139 notificações registradas.

“O aumento de circulação do vírus alcança todas as faixas etárias, mas tende a infectar mais quem foi poupado no começo da pandemia”, avalia o infectologista pediátrico Renato Kfouri. Questionado sobre se o aumento poderia ter relação com a volta de algumas atividades presenciais nas escolas, ele afirmou: “A escola não é responsável pelo aumento ou diminuição dos casos. Ela só reflete o que acontece do lado de fora.”

Kfouri destaca que a taxa de mortalidade é muito pequena. De acordo com dados da Secretaria estadual da Saúde, do total de mortes por Covid-19, apenas 0,12% são em menores de 10 anos.

No Hospital Infantil Sabará, o número de crianças internadas quadruplicou entre outubro e novembro. Em outubro, foram três internações pela doença. Em novembro, foram 12.

Isso fez com que novembro fosse o terceiro mês com mais internações na instituição, atrás apenas de julho (15 internações) e abril (13 internações).

G1