Fale Conosco

Para o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), a sociedade tem que se apropriar do plano diretor de sua cidade e fazer frente aos ataques especulativos. “As cidades têm jeito, porque nós a inventamos (…) Temos de fazer da cidade solução e não problemas”, receitou Addad, na noite desta quinta-feira (5), durante palestra proferida para um público que lotou o Teatro de Arena do Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa.

A palestra de Fernando Haddad (PT), com o tema ‘Participação Popular na Construção da Cidade’, integrou as comemorações dos 70 anos de reinstalação da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP). Ela foi a segunda do ciclo de palestras ‘Câmara Aberta: Diálogos da Democracia’, que irá acontecer até dezembro para celebrar os 70 anos do Legislativo Municipal.

A participação do ex-prefeito estava inserida no ‘Seminário Cidades Democráticas’, que teve o objetivo de mobilizar a sociedade sobre a importância de participar do processo de revisão do Plano Diretor de João Pessoa. Haddad compartilhou sua experiência à frente da gestão da maior cidade do país, durante a reformulação do seu Plano Diretor Estratégico. O ‘Seminário Cidades Democráticas’ foi realizado pelo Fórum Plano Diretor Participativo e contou com a exposição de cinco painéis temáticos.

A mesa de abertura da palestra foi composta pelo presidente Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB), Pedro Rossi; o vereador Marcos Henriques (PT), representando o presidente da CMJP, vereador Marcos Vinícius (PSDB); o próprio palestrante; o vereador Tibério Limeira (PSB); a deputada estadual Estela Bezerra (PSB), representando a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB); o procurador José Godoy, do Ministério Público Federal (MPF) na Paraíba; e a prefeita do Conde, Márcia Lucena (PSB), representando os municípios da Região Metropolitana de João Pessoa.

“Quando se fala em plano diretor, se fala em terra, a superfície de uma cidade”, disse Fernando Haddad, explicando: “A tendência natural de uma arquitetura ultrapassada é pensar apenas projetos bonitos; hoje as cidades, na nova arquitetura, pensam em projetos baseados em uma vida de bem-estar da população”. Para ele, o setor privado passa a ser um aliado da cidade e não uma ameaça.

“Mas também têm obras públicas que não são bem-vindas, porque não podemos ampliar os sacrifícios das pessoas. Temos que enxergar uma cidade em movimento, na sua dinâmica”, completou o palestrante, destacando: “Um dos pontos cruciais do plano diretor é a função social da propriedade pública. E um exemplo é o sistema viário, que é tratado como terra de ninguém. Temos que pensar a ordenação do espaço viário”.

Durante todo o dia dessa quinta-feira, temas como ‘Autogestão de Comunidades’, ‘Planejamento e Participação Popular’, ‘Cidades e Tecnologia’, ‘Acessibilidade e Direito à Cidade’ e ‘Transparência e Mobilidade Urbana’ foram debatidos durante os painéis. A ideia era o de construir um manifesto com diretrizes que servirão para nortear a metodologia que será utilizada para garantir a participação popular durante o processo de revisão do Plano Diretor de João Pessoa.

O vereador Tibério Limeira integra o Fórum Plano Diretor Participativo representando a Câmara e a palestra de Fernando Haddad ainda foi acompanhada pelos vereadores Eduardo Carneiro (PRTB) e Sandra Marrocos (PSB).

Ascom