Fale Conosco

Um dos sete acusados, apontado pelas investigações da Polícia Civil como o atirador, pela morte do radialista Ivanildo Viana morreu após ficar diversos dias internado no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa. Eliomar de Brito Coutinho foi baleado ao sair para comemorar o resultado do primeiro turno das eleições em Bayeux, na Região Metropolitana da Capital. Ele foi atingido pelos disparos enquanto estava dentro do carro com a esposa e socorrido ainda com vida.

Apesar de a Polícia Civil apontar que foi encomendado por R$ 75 mil, os sete acusados de matar o radialista foram absolvidos por júri popular, após 15 horas de sessão no 1º Tribunal do Júri da Comarca de João Pessoa.

Ivanildo trabalhava em uma rádio em Santa Rita e, ao deixar o prédio da emissora por volta das 11h30 do dia 27 de fevereiro de 2015, foi seguido por uma motocicleta e assassinado em um dos trevos da BR-230. O atirador, que estava na garupa da moto, era Eliomar de Brito Coutinho, de acordo com as investigações. O crime teria sido encomendado por Arnóbio Gomes Fernandes e tido Erivaldo Batista Dias e Olinaldo Vitorino Marques como intermediários entre o mentor e os executores.