Fale Conosco

Divulgada neste sábado (29) a 26ª Avaliação do Plano Novo Normal Paraíba, onde registrou um aumento na bandeira vermelha de 5%, o que representa a participação de 12 municípios nesta classificação. Os outros 95% de municípios paraibanos, equivalente a 211 cidades, figuram na bandeira laranja. Nenhum município foi avaliado na bandeira amarela ou verde.

A avaliação passa a vigorar nos 223 municípios nesta segunda-feira (31) e segue pelos próximos 15 dias. Os dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES) foram divulgados na 26ª avaliação do Plano Novo Normal Paraíba, neste sábado (29).

A 26ª avaliação mostra que 100% dos municípios paraibanos encontram-se nas bandeiras vermelha e laranja, com um expressivo crescimento de municípios classificados em laranja. Pela segunda vez ao longo de todo ciclo de avaliações não há municípios em bandeira amarela na Paraíba, a primeira vez foi na 22ª avaliação, no mês de abril.

Esta edição do balanço periódico marca uma importante transição de bandeiras delimitada, em especial, pela nova tendência de crescimento da média móvel da taxa de transmissibilidade (R efetivo) do novo coronavírus e das taxas de ocupação hospitalar dos leitos de terapia intensiva de adultos com destaque para as 2ª e 3ª macrorregiões de saúde, que compreendem respectivamente os municípios do complexo Agreste – Borborema e as regiões do Sertão e Alto Sertão do estado.

Desde o final do mês de abril, foi possível observar um crescente aumento das ocupações dos leitos hospitalares dedicados à Covid-19, em especial dos leitos de terapia intensiva e enfermaria dedicados a pacientes adultos.

O intervalo compreendido entre os dias 21 e 28 de maio, referente à análise, apresentou ainda um número médio de 98 internações ao dia em todo estado, um recorde quando comparado o mesmo dado no mês de março, até então o pior desde o início da pandemia, com 92 internações ao dia.

De acordo com o secretário executivo de Saúde do estado, Daniel Beltrammi, a rejeição ao uso de máscaras e a ocorrência de atividades com grandes aglomerações, principalmente entre a população das faixas etárias de 19 a 59 anos, afetam os indicadores utilizados pelo Plano Novo Normal no prazo de uma semana. Estes dados permitem correlacioná-los a piora ou a melhora do comportamento social.

“Os esforços para que se contenha a evolução da situação pandêmica para pior dependem da decisão de cada uma das pessoas em seguir protegendo suas vidas, por meio dos métodos e comportamentos reconhecidamente efetivos para conter a disseminação do novo coronavírus, como não aglomerar, fazer uso de máscara e manter a higiene das mãos”, reforça.

A Nota Técnica da 26ª avaliação do Plano Novo Normal reforça que as medidas adotadas pelo Governo do Estado da Paraíba, por meio dos sucessivos decretos publicados ao longo dos meses de março, abril e maio, para a atenuar os riscos provocados pelo cenário epidemiológico da pandemia no estado mostraram-se de extrema importância sanitária e social, em virtude do crescimento rápido e expressivo do número de novos casos (mais de 2 mil por dia), internações hospitalares (mais 110 novas internações ao dia) e óbitos (superior a 30 diários), ao longo do mês de maio.

SES-PB.