Fale Conosco

Em pronunciamento feito na tribuna do Senado Federal, na tarde desta terça-feira (19)o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), voltou a lamentar a onda de insegurança que reina na Paraíba e fez um apelo comovente em torno do desaparecimento da estudante  Fernanda Ellen, de apenas 11 anos de idade.

Visivelmente emocionado, Vital do Rêgo lembrou que logo no começo do ano, a população de João Pessoa foi surpreendida com a notícia do desaparecimento de Fernanda Ellen. A cidade toda se sensibilizou e inicou uma longa busca pela menina.

Decorridos 40 dias do seu desaparecimento, conforme lamentou Vital na tribuna do Senado, a polícia não tem ainda pistas do seu paradeiro; entretanto, a criminalidade avança, trazendo insegurança, dor, revolta e desespero aos lares paraibanos. Segundo ele, os municípios 

de toda a região de João Pessoa estão vivendo em um clima de profunda consternação. “A menina Fernandinha, com seu desaparecimento, comoveu a capital paraibana. É emblemático, mostra a incapacidade das autoridades policiais e a passividade dos responsáveis pela segurança pública” lamentou o senador.

Sob olhos atentos de vários senadores que escutavam  o seu pronunciamento, Vital contou que Fernanda desapareceu no dia 7 de janeiro, a caminho da escola, onde fora buscar o resultado de uma prova, no bairro Alto dos Mateus, na capital.E, como a escola fica nas proximidades da casa, ela foi no começo da tarde, e nada fazia supor que houvesse algum risco. “Entretanto, Fernandinha não mais voltou, para desespero de seus familiares e amigos” contou.

Diante da inércia das autoridades do Estado, Vital do Rêgo fez um apelo ao Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e também à direção da Polícia Federal, para que investiguem o desaparecimento da menina Fernanda Ellen; e também para que reforcem o combate ao crime organizado no Estado da Paraíba, devolvendo aos paraibanos a tranquilidade e a segurança por que tanto ansiamos.

Para Vital o desaparecimento de Fernanda não só é emblemático por mostrar a incapacidade da polícia, mais aponta para uma realidade triste na Paraíba que é o crescimento da insegurança, “Esse desespero soma-se à angústia de seus pais pela falta absoluta de informações da Polícia, da Secretaria de Segurança Pública, que diz que só dará informações quando as investigações avançarem, mas, até o momento, a apuração, pelo jeito, não avançou um milímetro sequer”.

Vital tem denunciado, com insistência, nas mais diversas tribunas, o triste e escandaloso crescimento da violência no Estado da Paraíba. A insegurança segundo ele, tornou-se uma presença cotidiana na vida da população e raramente se encontra um paraibano que não tenha sido vítima da criminalidade ou que não tenha parentes ou amigos agredidos, assaltados por criminosos. “Tenho denunciado também, muitas vezes a omissão das autoridades, assistindo de braços cruzados à escalada dessa violência, ao invés de cumprirem seu papel, o dever moral e constitucional, que é dar proteção aos cidadãos” lamentou.

Com toda essa inépcia, conforme lamentou Vital, não é de surpreender que João Pessoa tenha entrado na lista das cidades brasileiras mais perigosas, e que a Paraíba tenha ganhado um triste destaque nas estatísticas da criminalidade.

No ano passado, segundo ele, foram registrados 43 mortes por grupo de 100 mil habitantes no Estado – a terceira maior taxa de homicídios no País, naquela que era considerada a pacífica e aprazível Paraíba. “Os dados não são meus. São dados oficiais do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, que apontou, também, a existência de um déficit de 2.816 vagas no sistema penitenciário do Estado – 2.816 vagas” observou.

O senador ressaltou ainda que João Pessoa foi considerada a segunda mais violenta do Brasil pela ONG mexicana Segurança, Justiça e Paz. “A capital paraibana, aliás, foi destaque em diversos periódicos e agências de notícia nacionais, no ano passado, quando registrou, em menos de 24 horas, oito assassinatos, alguns deles motivados por vingança ou envolvimento com tráfico de drogas” recordou.

Ainda na tribuna do Senado, Vital revelou que a mais nova modalidade de atuação da bandidagem, agora, consiste nos atentados às agências bancárias. Nesse sentido, são números alarmantes, divulgados pelo Sindicatos dos Empregados em Estabelecimentos Bancários da Paraíba.

Apenas este ano, ocorreram 19 ações criminosas, abrangendo arrombamentos, assaltos e explosões. “Senhoras e Senhores, essa é uma situação grave, aguda, que merece das autoridades de segurança pública uma ação célere e imediata.

Conforme enfatizou o senador, cidades da região metropolitana, como Bayeux, Conde, Cabedelo, Lucena, Rio Tinto, Cruz do Espírito Santo, Santa Rita e Mamanguape, vivem o mesmo cotidiano de medo e insegurança. Essa rotina segundo ele, se repete também em outras cidades de maior porte, como Campina Grande, e mesmo em pequenas localidades do interior do Estado.

As causas dessa crueldade são as mais variadas, mas, em grande parte, relacionadas ao tráfico de drogas; e as vítimas, em sua maioria, são jovens. Para Vital, o povo paraibano não merece essa escalada de violência.