Fale Conosco

Em nota divulgada nesta terça-feira (25), o ministro Vital do Rêgo, do Tribunal de Contas da União, declarou estar indignado e surpreso com a nova fase da Operação Lava Jato, deflagrada hoje.

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Vital do Rêgo foi denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro pela força-tarefa da Operação Lava Jato por recebimento de propina enquanto era senador e presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras. Ele teve R$ 4 milhões em bens bloqueados em uma nova fase da operação, deflagrada na manhã desta terça-feira (25).

Veja a nota na íntegra:

O ministro Vital do Rêgo foi surpreendido na manhã de hoje com a notícia de que procuradores da força tarefa de Curitiba apresentaram denúncias nos autos de inquérito judicial que tramita há quase cinco anos e que dois procuradores-geiras da República, Rodrigo Janot e Raquel Dodge não vislumbraram elementos para formalizar o pedido de ação penal. Causa estranheza e indignação o fato de que a denúncia nasceu de um inquérito aberto sem autorização do STF, Corte esta que ainda aprecia recurso contra a remessa da investigação para Curitiba, em uma clara usurpação da competência do Supremo Tribunal Federal”, diz a nota.