Fale Conosco

O senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) condenou a inércia  do Governo de Ricardo Coutinho no combate ao crime organizado. Ele (Vital) juntamente com a deputada federal peemedebista Nilda Gondim, reafirmou sua bandeira de luta em prol de programas de enfrentamento a criminalidade na Paraíba que precisam de investimentos urgentes.

O parlamentar peemedebista considera alarmante o crescimento do número de crimes contra as agencias bancarias no Estado dados esses atualizados constantemente no Mapa de ataques a bancos na Paraíba desenvolvido pelo Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários da Paraíba, apenas este ano, foram registradas 20 ações criminosas contra os bancos do Estado.

ab

A explosão de um caixa eletrônico do Bradesco, em Junco do Seridó, na Região da Borborema, foi o quarto crime contra bancos na Paraíba, em fevereiro. No ano, foi a 20ª ocorrência, sendo: 7 explosões (4 no Banco do Brasil, 1 na Caixa e 2 no Bradesco), 5 arrombamentos (1 no Bradesco, 1 no Itaú, 1 no HSBC e 2 no Santander), 2 assaltos (Bradesco) e 6 tentativas de arrombamento/explosão (2 no Banco do Brasil, 2 no Bradesco e 2 no Santander).

ce

Nilda indaga que se não houver um plano de ação claro por parte da Secretaria de Segurança Pública da Paraíba, tais acontecimentos vistos nas cidades interioranas da Paraíba que passaram a ser matéria constante nos programas jornalísticos e nos jornais impressos do nosso cotidiano, só tendem a aumentar. Atentados aos caixas eletrônicos executados por bandidos de alta periculosidade e, também, com alto nível de sofisticação da prática criminosa passaram a ser corriqueiros. “Dados como esses citados acima nos envergonham, nos preocupam e nos deixam profundamente indispostos”, disse.

Visando combater essa prática a nível nacional o senador Vital do Rêgo e a deputada federal Nilda Gondim cobraram explicações do Exército brasileiro que por lei é o responsável pela fiscalização a fabricação, do comércio e o uso de explosivos. No ano passado, segundo o Exército, pouco mais da metade das 1.070 empresas que têm autorização para usar explosivos foi fiscalizada.

 

Em 2012 foram realizadas 450 vistorias em empresas diferentes, 450 vistoriadas em todo o Brasil. Vistorias aonde o fiscal vai no depósito, vistorias para verificar indícios de irregularidades, vistorias realizadas para concessão, para revalidação: se a gente somar tudo isso, vai dar mais de 50%”, diz Achiles Santos Jacinto Filho, assessor da Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados do Comando do Exército.

Vital obteve informações de reunião anteontem de garimpeiros que trabalham com a extração de pedras no Junco do Seridó junto a Cooperativa de Mineradores (Cooperjunco) e representantes da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Minerais da Paraíba (CDRM), para discutir o combate à venda ilegal de explosivos. Os mineradores informaram que vendiam os materiais, mas que não sabiam que bandidos que explodem bancos, estariam adquirindo os produtos na região. A presidente da Cooperjunco, Aparecia Carneiro, afirmou que irá cobrar medidas mais coercitivas para evitar o acesso das quadrilhas às áreas dos garimpeiros.

Para inibir esses assaltos, o senador peemedebista já implementou projeto de lei no Senado Federal cobrando do Banco Central (BC) formas que invalide o dinheiro roubado nesses assaltos e dentro disto já obteve alguns novos mecanismos de segurança a exemplo do dispositivo que mancha as notas quando o caixa é estourado e que já está no quarto tipo de tinta que entranha na nota e não se consegue lavar. Outras tecnologias estão sendo testadas, como a bomba que solta fumaça na agência quando os caixas são atacados. A ideia é dificultar a visão dos bandidos, que assim desistiriam do assalto.

 

“Uma forma de combatemos essa prática criminosa de assaltos a bancos que já é realizada em outros estados da federação e anular o maior benefício desses delinquentes, que é justamente o dinheiro levado. Meu projeto visa cortar essa fonte de recursos anulando as cédulas”, destacou Vital.

 “Vou requisitar do BC que continue avançando em novas ideias, pois entendo que esse dinheiro serve para financiar outras práticas do crime organizado”, afirmou o parlamentar.

Para o senador a sensação de insegurança constatada pela sociedade paraibana vem sendo verificada em diversos dados como os da pela ONG (organização não governamental) mexicana “Segurança, Justiça e Paz” onde apontou João Pessoa como a 2ª cidade mais violenta do Brasil e 6ª do mundo, com uma com uma taxa de 71,59 assassinatos a cada 100 mil habitantes. Confira onde, quando e como aconteceram esses crimes, no mapa.

  ATAQUES A BANCOS NO ESTADO DA PARAÍBA

 

2013

01

Pilar

BB

Tentativa

05/01

02

Olivedos

Bradesco

Arrombamento

05/01

03

Campina Grande

Itaú

Arrombamento

06/01

04

Lagoa Seca

BB

Explosão

08/01

05

Arara

BB

Explosão

08/01

06

Cruz das Armas – João Pessoa

Bradesco

Assalto

08/01

07

Duque de Caxias – João Pessoa

HSBC

Arrombamento

06/01

08

Pocinhos

BB

Tentativa

11/01

09

Pocinhos

Bradesco

Tentativa

11/01

10

Epitácio Pessoa – João Pessoa

Bradesco

Assalto

11/01

11

Maciel Pinheiro – João Pessoa

Santander

Arrombamento

20/01

12

Tambaú – João Pessoa

Santander

Tentativa

22/01

13

Quebra Quilos – Campina Grande

Santander

Arrombamento

24/01

14

Cajazeiras

Santander

Tentativa

27/01

15

Cacimba de Dentro

BB

Explosão

31/01

16

Cruz do Espírito Santo

BB

Explosão

31/01

17

Remígio

Caixa

Explosão

07/02 

18

Montadas

Bradesco

Tentativa

09/02

19

Queimadas

Bradesco

Explosão

16/02

20

Junco do Seridó

Bradesco

Explosão

20/02

 

Atualizado: 20/02/2013 – 8h56

 

 

OCORRÊNCIAS NO ANO DE 2013

BANCO

Explosão

Assalto

Arrombamento

Tentativa

Saidinha

Total

BB

4

0

0

2

0

6

Santander

0

0

2

2

0

4

Bradesco

1

2

1

2

0

6

Banco 24Horas

0

0

0

0

0

0

Itaú

0

0

1

0

0

1

Caixa Econômica

1

0

0

0

0

1

HSBC

0

0

1

0

0

1

Totais

6

2

5

6

0

19

Atualizado em

16/02/13

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

OCORRÊNCIAS NO ANO DE 2012

BANCO

Explosão

Assalto

Arrombamento

Tentativa

Saidinha

Total

BB

14

6

2

2

3

27

Santander

1

1

3

1

3

9

Bradesco

13

2

1

1

0

17

Banco 24Horas

0

0

0

0

0

0

Itaú

0

2

1

1

2

6

Caixa Econômica

1

1

2

0

0

4

Totais

29

12

9

5

8

63

Atualizado em

02/01/13