Notícias

Vereadores da base de Agra trabalham para evitar a posse do padre que chamou Ricardo de “satanás”

Vocês podem não acreditar, mas vez por outra os vereadores discutem metafísica lá na Câmara de João Pessoa.

Com o início do ano legislativo marcado para a próxima quarta-feira (2), a Câmara  enfrentará a polêmica com a posse de Pastor Edmilson (PRB), em substituição ao vereador Edmilson Soares (PSB), que entrega a carta-renúncia hoje, às 17h, para ser empossado deputado estadual amanhã, na Assembleia Legislativa da Paraíba. Até aí tudo bem.

Acontece que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) determina que a vaga do parlamentar que renuncie ou tire licença, deve ser ocupada pelo primeiro suplente do partido e não da coligação e, neste caso, a vaga seria de Padre Adelino (PSB), mas a Mesa Diretora da Câmara decidiu que a vaga é de Pastor Edmilson, primeiro suplente da coligação na qual o futuro deputado estadual foi reeleito vereador, nas eleições de 2008. 

Pastor Edmilson integrará a base do prefeito Luciano Agra e aí a sua posse passa a ser da maior importância para o bloco liderado por Bira na Casa de Napoleão Laureano.

Todos sabem que o Padre Adelino esteve na linha de frente no combate a eleição de Ricardo Coutinho e que até do cargo de capelão da PM foi apeado.

É que Ricardo tem certeza que foi ele quem espalhou aqueles panfletos chamando-o de satanás e irá até as últimas conseqüência para evitar a posse do Padre.

Como diz o ditado em política: inimigo bom é inimigo sem mandato. Ainda mais um padre que queria exorcizar o kaizer…