Fale Conosco

A violência na Paraíba é tanta que nos acostumamos a circular entre os cadáveres que infestam as redes sociais e noticiário. A bala abala e a violência embala.

Sábado foi a missa de trigésimo dia do radialista Ivanildo Viana, executado violentamente por pistoleiros após ter saído do programa de rádio que comandava na 100.5, em Santa Rita.

Algum suspeito preso? Não. Só a violência prospera, faz suas vítimas e circula livremente; o cidadão, não. É a presa  fácil dos bandidos que fazem pouco de quem chora a violência contra o ser humano.

Banalizada, incomum é não ter morrido 20 num fim de semana, um amigo não ter sido assaltado ou a bandidagem não ter explodido um caixa eletrônico ou ter feito uma limpa num ônibus qualquer.

Quem noticia a violência vira astro de grande audiência; quem deveria combater culpa o sensacionalismo da mídia.

E assim a violência se estabelece, politiza-se, corrompe e vira lucro.

Por falar em violência, até quando aguaradaremos em silêncio um pequeno pronunciamento dos responsáveis pela segurança Pública sobre o paradeiro da investigação do Caso Ivanildo Viana?

Se o Governo não debelar a violência, a violência vai acabar com o governador. Politicamente falando.